22 de maio de 2024

CARGAS

O site dos transportes

Exportação de grãos da Ucrânia

Por conta da Guerra, existe enorme congestionamento de navios nos portos romenos do Mar Negro, o que ameaça a velocidade das exportações. Os portos do rio Danúbio são os principais escoadouros dos grãos ucranianos e mais e maiores navios são necessários para exportar mais rapidamente os grãos colhidos

O acordo entre a ONU e a Turquia com a Rússia para evitar interferência nas exportações de grãos ucranianos resultou na saída de 12 navios de transporte de grãos da Ucrânia. No entanto, alguns desafios permanecem para o embarque de safras no país em conflito, aponta um novo relatório da project44 — plataforma líder em visibilidade da cadeia de suprimentos.

“O trigo ucraniano está enfrentando uma escassez na produção, então mesmo com o Corredor do Mar Negro, o Brasil continuará experimentando os preços subindo pelo menos nos próximos meses, apontam analistas de mercado. No entanto, o acordo entre a Turquia e a ONU para garantir os embarques de grãos é oportuno para evitar mais escassez em todo o mundo”, afirma Josha Brazil, vice-presidente de Supply Chain Insights da project44.

O Ocean Lion, o maior navio a transportar grãos ucranianos até agora, partiu para a Coreia do Sul com 64.720 toneladas de milho a bordo, enquanto o Rahmi Yagci continha 5.300 toneladas de farinha de girassol a bordo. Como parte do corredor seguro para a exportação de grãos ucranianos para o exterior, foi estabelecida uma zona tampão de 10 milhas, com as seguradoras em Londres agora dispostas a cobrir os navios que entram e saem da Ucrânia após as viagens bem-sucedidas deste mês.

Portos romenos estão congestionados por mais de 120 navios. Apesar da vontade da Romênia de oferecer à Ucrânia acesso adicional ao rio Danúbio, um enorme engarrafamento de vários tipos de embarcações se formou na costa do país devido à capacidade limitada nos portos e no rio.

Espera-se que os navios passem pelos canais do estuário Sulina e Bystre para chegar a uma série de portos e terminais na Romênia, de onde podem transportar grãos para todo o mundo.

Antes da retirada russa da vizinha Ilha da Cobra, que abriu uma nova rota através do estuário de Bystre, o canal Sulina era a única maneira de os navios entrarem no

Danúbio, e os navios de navegação tinham que esperar semanas pela passagem pelo canal de mão única.

Apesar do fato de que a quantidade de grãos exportados ainda será muito menor do antes da invasão russa, as autoridades ucranianas esperam que a nova rota de exportação de grãos lhes permita exportar mais 500.000 toneladas.

Infelizmente, o aumento do acesso do rio Danúbio aos mercados europeus é um desenvolvimento bem-vindo, mas, ainda assim, não é suficiente para chegar à África e ao Oriente Médio – os principais mercados da Ucrânia mais vulneráveis à escassez de alimentos.

Perspectiva

Estima-se que 22% das terras agrícolas da Ucrânia estejam sob controle russo desde que a invasão começou em 24 de fevereiro. A Ucrânia foi um dos maiores exportadores de grãos do mundo, e o acordo que a ONU e a Turquia negociaram no mês passado para garantir os embarques de grãos deve ser mantido para evitar uma grave escassez de alimentos e até mesmo surtos de fome em todo o mundo.

No entanto, a Ucrânia precisa de mais navios a granel grandes, como o Ocean Lion, para transportar a colheita que envelhece rapidamente para o mar. Grandes navios graneleiros são grandes demais para o Danúbio e precisam de acesso ao mar aberto para chegar aos principais mercados da África e do Oriente Médio.

Project44

A project44 tem a missão de fazer as cadeias de suprimentos funcionarem. Como o tecido conectivo da cadeia de suprimentos, opera a plataforma de visibilidade de ponta a ponta mais confiável do mundo, rastreando mais de 1 bilhão de remessas anualmente para mais de 1.200 das principais marcas, incluindo as principais empresas de manufatura, automotivo, varejo, ciências da vida, alimentos e bebidas, e petróleo, química e gás. Utilizando a project44, expedidores e transportadores em todo o mundo ganham maior previsibilidade, resiliência e sustentabilidade.

Bruno Castilho

bruno@cargasetransportes.com.br