25 de junho de 2024

CARGAS

O site dos transportes

Logística à prova de crises

Tecnologia é fundamental para garantir uma operação eficiente. E mesmo com percalços uma boa gestão da operação logística pode garantir que a produção de uma fábrica continue ativa, causando menor impacto financeiro.

Tecnologias avançadas melhoram a eficiência das operações logísticas, abrangendo desde a aquisição de matéria-prima até a entrega do produto para o consumidor. Assim, mesmo em meio a tragédias naturais, como aconteceu recentemente na Eslovênia, com atrasos na produção de peças, uma boa gestão da operação logística pode garantir que a produção de uma fábrica continue ativa, causando menor impacto financeiro.

Uma operação logística de sucesso depende de vários fatores. A tecnologia, por exemplo, é fundamental para que todos os processos, desde a aquisição dos materiais, até a entrega do produto aconteça dentro dos prazos e valores estabelecidos. Mesmo assim, uma tragédia natural pode parar uma produção inteira como aconteceu em setembro deste ano.

Uma fábrica em Portugal, parte de uma das maiores montadoras de veículos do mundo, foi obrigada a suspender sua produção por nove semanas devido à falta de uma única peça. Um componente produzido em uma fábrica da Eslovênia, um pequeno país da Europa Central – que naquele momento estava enfrentando o pior desastre natural de sua história com chuvas fortes e inundações.

“Uma peça. Um pequeno componente que faltou e os prejuízos e consequências já começaram a acumular. Isso, sem mencionar a perda de vidas no país, que é o mais importante. Neste caso, o problema não foi só da produção, mas também da própria logística. Afinal, um país devastado, com estradas e pontes destruídas pelas águas, mesmo que a fábrica não estivesse na área atingida, seria muito difícil conseguir transportar a mercadoria”, informa Marcelo Zeferino, Chief Commercial Officer (CCO) da empresa Prestex – Logística Emergencial.

Especialista em logística emergencial, Marcelo Zeferino, explica que modal aéreo é o mais indicado no caso de transportes em áreas de desastres naturais O especialista explica que uma solução seria o envio aéreo emergencial, por ser um modal que permite que as mercadorias sejam entregues em menos tempo e com mais segurança, independentemente da distância que será percorrida.

“No início de 2022, um cliente corria o risco de parar sua produção devido à falta de um componente. Não era por causa de uma tragédia, mas era fato que o tempo estava correndo e a empresa queria evitar um prejuízo de R$12 milhões. Em menos de 10 horas montamos uma operação aérea emergencial envolvendo dezesseis aeronaves, partindo de duas cidades diferentes do Rio Grande do Sul, rumo à fábrica do cliente em Minas Gerais”, destaca Zeferino.

Inteligência e tecnologia

Para atender uma operação como essa é preciso contar com o trabalho de dezenas de pessoas, além de muita tecnologia, elemento que está se tornando cada vez mais necessário em todos os tipos de negócios. Segundo Rogério Annunciata, gerente de TI da Prestex, no mercado existem diversos sistemas de gestão de logística que otimizam e facilitam o trabalho de profissionais e empresas que atuam no setor.

“São sistemas que garantem eficiência, reduzem custos e melhoram o atendimento ao cliente. Afinal, dentro do processo logístico, se alguma das etapas falha, seja por problemas de infraestrutura, atraso ou avarias, todo o processo é comprometido. Isso sem falar nos prejuízos financeiros”, explica.

 Sistema de rastreamento é fundamental no processo logístico

Esses sistemas são softwares e ferramentas que auxiliam na coordenação e controle das atividades logísticas de uma empresa. A principal finalidade é manter a eficiência das operações, abrangendo desde a aquisição de matéria-prima até a entrega do produto para o consumidor. Por meio deles, as empresas conseguem ter uma visão ampla e integrada da cadeia de suprimentos, fornecendo informações em tempo real sobre os estoques, transporte, armazenagem, entre outros processos logísticos”, diz Rogério.

O que não pode faltar

Para o gerente de TI, existem cinco principais sistemas de gestão que devem fazer parte dos processos de logística. São eles: Sistema de Gerenciamento de Transporte (TMS), Sistema de Gerenciamento de Armazém (WMS), Sistemas de Rastreamento, Sistema de Roteirização e, por fim, o Sistema de Gestão de Frotas.

“TMS” é uma sigla em inglês que quer dizer Transportation Management System. É um software que permite simplificar a gestão de várias etapas dos processos logísticos relacionados ao transporte de cargas, como a roteirização, agendamento de transporte, cadastro de taxas e tarifas, controle das cargas, análise de relatórios, gestão de documentação e acompanhamento de embarque, coletas e entregas. É fundamental como se fosse o cérebro de uma operação”, diz Rogério.

 A outra sigla que também se refere a um software, o WMS ou Warehouse Management System é um sistema de gestão de armazéns ou centros de armazenamento. Ele atua gerenciando e controlando o fluxo de materiais, desde o recebimento até a expedição, garantindo a precisão dos estoques e a qualidade das operações. “Podemos dizer que um Sistema de Gerenciamento de Transporte (TMS) e um Sistema de Gerenciamento de Armazém (WMS) se complementam”, analisa o especialista.

Segurança é fundamental

Segundo dados da ANTC – Associação Nacional de Transporte de Cargas e Logística, o roubo de cargas registrou 1,2 bilhão de prejuízos no Brasil em 2022. A pesquisa identificou que alimentos, combustíveis, produtos farmacêuticos, autopeças, materiais têxteis e de confecção, cigarros, eletroeletrônicos, bebidas e defensivos agrícolas são as mercadorias mais visadas por quadrilhas e grupos criminosos.

“Por causa de números como esses é que os sistemas de rastreamento desempenham um papel muito importante nos processos logísticos. Essas soluções permitem o monitoramento e acompanhamento em tempo real da localização e do status das mercadorias ao longo de toda a cadeia de suprimentos. Assim, caso a empresa identifique um problema ela consegue tomar medidas corretivas de forma rápida e evitar situações como o roubo, por exemplo”, explica Marcelo Zeferino.

 Rogério Annunciata, gerente de TI, explica que a Prestex tem um sistema próprio para o rastreamento de cargas. “A solução permite que o cliente acompanhe na palma da mão cada etapa de sua carga. Nossa empresa foi uma das pioneiras no país a ter um aplicativo de rastreamento de cargas”, finaliza.

Bruno Castilho

bruno@cargasetransportes.com.br