26 de maio de 2024

CARGAS

O site dos transportes

Volvo CE R60

Montadora lança caminhão rígido para operação em mineração e pedreiras. Com 4,6 metros de altura, 5,9 de altura e 10 metros de comprimento, tem peso líquido de 44,8 toneladas e capacidade para até 54 toneladas de carga

A Volvo CE apresentou o caminhão rígido R60. Destinado para mineração e pedreiras,  o veículo oferece desempenho, disponibilidade, facilidade de manutenção e bom custo total de propriedade.

“O modelo é ideal para o deslocamento de material em pedreiras e mineradoras. O R60 é altamente eficiente, resistente e equipado com a mesma tecnologia de outros modelos de caminhões rígidos Volvo já aprovados em operações ao redor do mundo”, diz Boris Sánchez, head de gerenciamento de produtos e serviços de produtividade da Volvo CE na América Latina.

Com 4,6 metros de altura, 5,9 de altura e 10 metros de comprimento, tem peso líquido de 44,8 toneladas e capacidade para até 54 toneladas de carga. O R60 se soma à família de caminhões rígidos da marca, que oferece também no Brasil o R70D, que movimenta até 65 toneladas de carga, e o R100E (95 toneladas).

O R60 é um projeto novo e moderno que privilegia a produtividade e a segurança. Itens como a telemetria, o powertrain atualizado e o desenho da caçamba elevam a eficiência do caminhão. Todos os modelos são fabricados na Escócia e contam com suporte global da marca.

O novo veículo possui cabine que atende as normas ROPS, de proteção contra tombamento, e FOPS, contra queda de objetos no teto da estrutura. Posicionada à esquerda, a estação do operador oferece visão livre, auxiliada também pelos retrovisores de grande área. O amplo para-brisa amplifica a visão frontal, com uma melhora significativa da segurança da operação.

Dentro, uma série de recursos entregam conforto elevado: ambiente climatizado, monitores posicionados ergonomicamente, controles responsivos, assento e volante ajustáveis com suspensão pneumática. O sistema de câmeras Volvo Smart View garante visão panorâmica de 360° da zona de trabalho.

Nova caçamba

A caçamba tem desenho que centraliza a carga, posiciona o centro de gravidade mais próximo do chão e melhora a estabilidade. A suspensão avançada do R60 reduz a transferência de impacto e vibrações do solo para o operador.

Outro recurso importante para a segurança e performance da operação são os dois sistemas para controle em declives. O retardador da transmissão limita o travamento das rodas. E o modulador do freio traseiro ajuda a manter uma rotação controlada do motor. A velocidade máxima é de 61 km/h.

Tecnologia e manutenção

O sistema de pesagem a bordo, o On-Board Weighing, fornece informações sobre a carga útil em tempo real. Outro opcional que intensifica os resultados da operação é o sistema de telemetria para o acompanhamento remoto da operação.

Apesar de gigante, o R60 tem manutenção simplificada. Um exemplo são os pinos e buchas de suspensão. O modelo tem 15 no total, a maior parte de tamanho único. “Facilita a manutenção porque não demanda tamanhos variados em estoque. O R60 tem disponibilidade elevada porque o seu projeto é para um custo de manutenção baixo, com componentes confiáveis e reconhecidos do mercado”, explica Sánchez.

Demanda favorável

“O Brasil passa por um momento em que projetos que estavam parados começam a sair do papel. Isso aumenta a demanda para diversos tipos de máquinas, incluindo caminhões rígidos”, afirma Marcelo Magalhães, head de contas estratégicas (key accounts) da Volvo CE. “Estamos otimistas, não só com o novo R60, mas com o potencial de mercado para toda a linha de caminhões rígidos Volvo”, completa Marcelo.

Bruno Castilho

bruno@cargasetransportes.com.br