27 de maio de 2024

CARGAS

O site dos transportes

Logística da Nestlé

Nestlé Brasil investe mais de R$ 140 milhões em nova estratégia de logística e distribuição regional. Empresa passa a operar com sete CDs pelo país, reduzindo o lead time médio (tempo de entrega da mercadoria) em até 80%

A Nestlé Brasil inaugurou um novo centro de distribuição regional no Rio de Janeiro, dentro de sua nova estratégia de logística no país, cujo investimento total chega a R$ 140 milhões. Com isso, a empresa passa a operar com sete CDs (Centros de Distribuição) pelo país, reduzindo o lead time médio (tempo de entrega da mercadoria) em até 80% de acordo com a região, gerando, ainda, uma redução de 1 milhão de toneladas de CO2 por ano no Brasil.

“No final de 2021 decidimos fazer uma revisão de toda a nossa malha com o objetivo de aumentar a agilidade e a flexibilidade na distribuição a partir dessas centrais de atendimento nas principais regiões onde identificamos a necessidade de ganhar velocidade no tempo de entrega, em especial para o varejo local. Ao estarmos mais próximos dos clientes nessas regiões, com abastecimento eficiente e ágil, temos uma redução média no prazo de entrega em 60%”, diz Marcelo Nascimento, vice-presidente de Supply Chain da Nestlé Brasil, sobre a estratégia da empresa de ampliar o novo modelo para outros estados do país.

Inaugurações  

Em maio de 2022, a empresa iniciou a operação do novo CD regional no Rio Grande do Sul, em Nova Santa Rita, para trazer mais agilidade na operação logística e entrega a clientes no Sul do País. A unidade tem 20 mil m², capacidade operacional para expedir 150 toneladas de produtos por dia e armazenar 8 mil pallets – o equivalente a mais de mil itens. Por ano, a Companhia prevê comercializar mais de 22 mil toneladas de produtos.

O lead time no Estado passou de 9 para 2 dias. O centro de distribuição, onde atuam 140 pessoas entre colaboradores diretos e indiretos, dispõe de uma plataforma tecnológica para a gestão de estoque e softwares que permitem a integração das operações.

Já em abril de 2023, a empresa inaugurou seu primeiro Centro de Distribuição no Rio de Janeiro, localizado em Xerém, em Duque de Caxias. O novo CD dispõe de uma área útil de 10 mil m², com 7 mil posições de pallets e 24 mil toneladas/ano de produtos movimentados. Por ano, são previstas 8 mil entregas, para o atendimento de mais de 300 clientes. São 150 funcionários diretos e indiretos, que passou a oferecer uma redução no lead time de 6 para 2 dias. A estratégia de investimentos contempla mais dois novos CDs até o próximo ano.

Até o ano passado, a Nestlé contava com grandes CDs – em São Bernardo do Campo (SP), em Cordeirópolis (SP) e Feira de Santana (BA) -, que operavam com cargas maiores e veículos para abastecimento direto a clientes de maior porte, além de uma rede de 72 Brokers, que atuam como pontos de distribuição mais próximos dos pontos de venda menores.

Agora, soma-se a essa estrutura as centrais regionais com foco nos clientes médios e operação em parceria com operadores logísticos. Como estratégia, a Nestlé contrata o operador logístico e faz a gestão da unidade. “Ganhamos também na nossa capacidade de reagir mais rápido às variações de mercado, pois temos parcerias regionais que se somam à nossa estrutura maior de distribuição pelo país”, complementa Marcelo.

Logística

Um desafio diário é garantir que os produtos estejam disponíveis em todos os 260 mil pontos e canais de vendas localizados em mais de 5,4 mil municípios brasileiros, considerando que a Nestlé está presente em 99% dos lares brasileiros. Para isso, é movimentada uma média de 10 mil toneladas/dia, o que equivale a 1.200 veículos com diferentes perfis e capacidades. Essa movimentação de 20 mil entregas/dia é feita por meio de mais de 100 empresas transportadoras. Considerando-se planejamento de transportes, serviço ao cliente e logística física, são 2,5 mil pessoas envolvidas diariamente na movimentação de produtos.

 Ainda sobre novas tecnologias, houve investimento pesado nos últimos anos em ferramentas de gestão de transporte com algoritmos que otimizam rotas e ocupação de veículos.

Como resultado, houve o aumento da ocupação dos veículos, redução do número de viagens e do custo dos fretes, além de diminuição de riscos de atrasos e outras ocorrências. Além disso, os depósitos e centros de distribuição estão se modernizando para aumentar a produtividade, o que contempla automatização e uso de robôs, veículos auto-guiados, docas com carga e descarga automática, entre outros benefícios do investimento em modernização.

Nos CDs operados pela Nestlé, a companhia adota o sistema Voice Picking, em que as instruções para o deslocamento das cargas no armazém são feitas por voz e a leitura gera dados que são transmitidos e armazenados por um sistema específico. Assim, os operadores trabalham sem materiais na mão para consultar informações, o que aumenta a segurança e a produtividade.

Bruno Castilho

bruno@cargasetransportes.com.br