17 de abril de 2024

CARGAS

O site dos transportes

Andy Wang

Na rota da logística

O Brasil na rota da logística asiática. De acordo com um levantamento recente do governo federal, a proximidade entre o país e as nações do continente asiático vem aumentando gradativamente, há pelo menos 20 anos

Não é de hoje que a parceria entre os países asiáticos e o Brasil vem rendendo bons frutos, tanto no âmbito econômico, quanto cultural e social. De acordo com um levantamento recente do governo federal, a proximidade entre o país e as nações do continente asiático vem aumentando gradativamente, há pelo menos 20 anos. Em 2001, durante o início do mais recente movimento de expansão da economia asiática, 14% do comércio exterior do Brasil era estabelecido com a Ásia. Pouco a pouco, esse percentual aumentou, atingindo as marcas de 38%, em 2019, e 42%, em 2020.

Ainda de acordo com números do governo brasileiro, enquanto 35% dos produtos importados pelo país, em 2020, vieram da Ásia, 47% dos produtos brasileiros comercializados também tiveram como destino nações asiáticas. Esse movimento se deve, em grande medida, ao rápido desenvolvimento econômico da China nas últimas décadas, bem como ao crescimento de países como Índia, Coreia do Sul e membros da Associação de Nações do Sudeste Asiático (Asean), que também reforçaram essa tendência.

É nesse contexto de avanço dos investimentos asiáticos no Brasil que a J&T Express desembarcou no país, em maio de 2021, ainda em um momento de recuperação gradual da atividade econômica, após os impactos pandêmicos mais severos.

No entanto, a despeito das adversidades e desafios impostos pelo período, nosso senso de dinamismo e inovação, bem como nossa confiança no mercado brasileiro, não nos impediram de expandir nossos negócios e nossa área de atuação, sempre pautados pelo compromisso de fornecer ao cliente brasileiro as melhores soluções em logística, por meio de uma estrutura digital inteligente, a fim de conectar o maior número possível de pessoas, com o máximo de eficiência.

Passado menos de um ano desde o início da operação no país, nos orgulhamos em acumular resultados expressivos, com mais de 30 milhões de pedidos processados ao longo de 2022 e um volume médio mensal de 4,1 milhões de encomendas, só no segundo semestre do último ano. Além disso, ao longo desse mesmo período, também alcançamos um pico mensal de 5 milhões de pedidos processados – número que representa um crescimento bastante significativo em relação ao primeiro mês de atuação no Brasil.

Atualmente, a J&T Express conta com aproximadamente 3 mil colaboradores no país e capacidade de processamento de até 400 mil pedidos/dia. Somando recursos próprios e de parceiros, dispomos de uma frota com cerca de 3,2 mil veículos operacionais, além de mais de 350 depósitos e centros de distribuição espalhados por todo o território brasileiro.

Temos a satisfação de oferecer cobertura a 100% dos CEPs do país, conectando mais de 2 milhões de brasileiros em 5.570 municípios, que se somam aos mais de 2,5 bilhões de pessoas que alcançamos globalmente com nossos serviços, em outros 12 países, incluindo Indonésia, Vietnã, Malásia, Filipinas, Tailândia, Camboja, Singapura, China, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, México e Egito.

Em suma, em um momento como o atual, em que os países asiáticos, por diversas razões, têm assumido uma postura mais cautelosa com relação aos seus investimentos externos, o Brasil tem assumido um papel particularmente importante para a Indonésia, trazendo resultados promissores para as companhias que aqui investem. E com a J&T Express não tem sido diferente.

Às vésperas de completarmos nosso primeiro ano de operação no país, já podemos afirmar que o mercado brasileiro é um dos mais relevantes para a empresa na América Latina e que seguiremos empenhados em criar a melhor experiência em logística para o Brasil, com foco em inovação tecnológica e fornecendo soluções altamente confiáveis e eficientes, a fim de que cada vez mais pessoas possam desfrutar dos benefícios trazidos pelas transformações da economia digital.

Artigo de Andy Wang, CEO da J&T Express Brasil