25 de junho de 2024

CARGAS

O site dos transportes

Os B100 da Amaggi

Empresa recebe primeiros caminhões movidos a B100 na fábrica da Scania. Ao todo, foram adquiridos 101 veículos Euro 6 movidos, sendo 100 do modelo 500 R 6×4 Super e um do modelo 500 R 6×2 Super – este para o transporte do biocombustível para os pontos de abastecimento

Em mais um passo inovador e sustentável na sua trajetória, a Amaggi deu início ao uso de biodiesel puro (B100) em sua frota rodoviária. A entrega dos primeiros caminhões totalmente preparados para trafegar com o biocombustível foi realizada na fábrica da Scania, em São Bernardo do Campo (São Paulo).

Ao todo, foram adquiridos 101 veículos Euro 6 movidos a B100, sendo 100 do modelo 500 R 6×4 Super e um do modelo 500 R 6×2 Super – este para o transporte do biocombustível para os pontos de abastecimento. Os caminhões têm motores que atendem a nova lei de redução de emissões de poluentes, em vigor desde janeiro de 2023.

Os veículos irão para o Mato Grosso, onde está à base da frota rodoviária da empresa de transportes. O suporte diário para as operações dos produtos está sob responsabilidade da Casa Scania Rota Oeste. Trata-se da principal compra de caminhões B100 da montadora na América Latina e uma das mais representativas globalmente para um único cliente. Portanto, a Amaggi passa a ter a maior frota rodoviária do agro abastecida exclusivamente com o combustível sustentável. Além de ter a frota B100 predominante da Scania no Brasil e na América Latina, e uma das maiores do mundo.

A adoção do uso do B100, que é produzido pela própria AMAGGI a partir de óleo degomado de soja, integra a estratégia de negócios e de sustentabilidade da empresa com o objetivo de reduzir suas emissões de CO2, compromisso assumido pela companhia contra as mudanças climáticas.

O biodiesel é uma alternativa viável à matriz de combustíveis fósseis, que são mais poluentes. Seu uso traz ganhos diretos ao meio ambiente por diminuir a pegada de carbono: a troca do diesel para o biodiesel deve trazer uma redução de aproximadamente 99% nas emissões de CO2, de acordo com o GHG Protocol.

“A descarbonização é um projeto da Amaggi dentro de sua estratégia de negócios e de sustentabilidade e esse projeto veio ao encontro da chegada da tecnologia necessária por parte da Scania. A entrega desses caminhões é um marco para a nossa empresa, com o início da operação da frota rodoviária movida a B100”, disse Claudinei Zenatti, diretor de logística e operações da Amaggi.

Essa foi a primeira venda no Brasil de caminhões originais de fábrica da Scania que rodam com biodiesel 100%, realizada em novembro de 2023, e evidencia um movimento no mercado em busca de um sistema de transporte mais sustentável.

“Chegou o grande momento do início das entregas dessa compra histórica para o setor de transportes brasileiro. Os primeiros caminhões 6×4 100% movidos a biodiesel originais de fábrica são da Amaggi, que se junta à Scania e à Rota Oeste para celebrar esta ocasião única. É uma das maiores frotas B100 da Scania no mundo. A Amaggi comprova o quanto está viabilizando o ecossistema de transporte mais sustentável. É um caso completo de ciclo sustentável, pois a produção do biodiesel é da própria Amaggi”, salienta Simone Montagna, presidente e CEO da Scania operações comerciais Brasil.

“A Scania também está oferecendo ao mercado o B100 na tração 6×2 e estamos otimistas com as vendas destes produtos. Seguimos ofertando mais uma opção sustentável ao diesel”, completa o executivo.

Vale reforçar que o lote comprado pela Amaggi ainda é formado por 250 caminhões 560 R 6×4 Super, que também já começaram a ser entregues. “O 560 Super 6×4 oferece até 28% de economia de combustível sobre a geração anterior, e uma superior eficiência energética, ou seja, seu motor emite muito menos gases poluentes”, conclui Montagna.

Os caminhões vão operar no trecho entre o Norte de Mato Grosso até o terminal de Miritituba, no Pará, fazendo o transporte de grãos. A base da frota rodoviária da Amaggi fica em Matupá (Mato Grosso), local em que os veículos também serão abastecidos com o B100 e onde, recentemente, a Casa Scania Rota Oeste abriu uma filial para atender a demanda local.

Estratégia B100

O biodiesel B100 da Amaggi é feito a partir de óleo de soja degomado. O processamento da soja ocorre em uma indústria esmagadora da empresa localizada em Lucas do Rio Verde (Mato Grosso). De lá, a matéria-prima é enviada à fábrica de biodiesel, que entrou em operação ano passado e fica anexa à esmagadora. Sua capacidade de produção é de 338 mil m3 de biodiesel por ano, em uma área de mais de 26 mil m2.

Além das embarcações fluviais, a Amaggi vai começar a usar o B100 nas próximas semanas no maquinário agrícola da Fazenda Sete Lagoas, em Diamantino, também no  mato Grosso, em uma parceria com a fabricante John Deere.

Biodiesel no Brasil

No Brasil, o biodiesel segue avançando na matriz energética. O percentual obrigatório de adição do biodiesel ao diesel passou a ser de 14% desde abril deste ano, por decisão do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE). Para o ano que vem está previsto novo aumento, para 15%.

Amaggi

Fundada em 1977, a Amaggi é a maior empresa brasileira de grãos e fibras. Presente em diversas etapas da cadeia do agronegócio, a companhia atua na produção agrícola de grãos, fibras e sementes, originação, processamento e comercialização de grãos e insumos.

Além de transporte fluvial e rodoviário de grãos, operações portuárias, geração e comercialização de energia elétrica renovável. Com sede em Cuiabá (Mato Grosso), está presente em todas as regiões do Brasil, com fazendas, armazéns, escritórios, fábricas, frota fluvial e rodoviária, terminais portuários e centrais hidroelétricas.

São 74 unidades localizadas em 42 municípios de nove estados. No exterior, a empresa possui unidades e escritórios na Argentina, China, Holanda, Noruega, Paraguai, Suíça e Singapura. A Amaggi produz anualmente cerca de 1,2 milhão de toneladas de grãos e fibras, entre soja, milho e algodão.

Bruno Castilho

bruno@cargasetransportes.com.br