20 de abril de 2024

CARGAS

O site dos transportes

Gestão de frotas e logística

Pesquisa revela tendências para gestão de frotas e logística em 2024. Levantamento realizado pela Trimble com 350 profissionais da área apontou o uso de tecnologias como diferencial estratégico para o setor

A construção de um benchmarking especializado sobre gestão de frotas e logística no Brasil motivou a Trimble, companhia global de tecnologia para posicionamento, modelagem, conectividade e análise de dados, a realizar uma pesquisa com as tendências para o setor em 2024.

Pensando em como apoiar, desenvolver e inovar no setor, a Trimble Transportation buscou entender por meio da pesquisa como trazer soluções com base nas necessidades reais de clientes e de todo o setor. A apuração dos dados revelou o ranking das 10 principais tecnologias embarcadas em veículos de logística e mais 10 plataformas mais utilizadas para gestão de frotas.

Rastreamento e telemetria (que já são utilizadas em 70% das operações estudadas) e gestão de combustível são os mais impactantes em resultados diretos, enquanto torre de controle, ferramentas de BI e acompanhamento de jornadas também se destacam. Na conclusão com foco na análise e uso de dados, mais de 41% dos entrevistados consideram soluções em tecnologia e AI o grande diferencial competitivo para trabalhar estas e outras ferramentas.

 O estudo revelou o que o setor deve esperar de desafios no ano de 2024, elencando 3 principais pontos de atenção: custo de combustível (que se destaca com 53%), seguido de mão de obra qualificada e soluções tecnológicas. E suas rotinas foram eleitas como principais medidores de resultados em gestão, que têm como foco a disponibilidade de frotas, segurança – mais especificamente prevenção de acidentes – e o planejamento e acompanhamento das entregas. Atualmente, 20% dos participantes do estudo revelaram que há partes de suas equipes já dedicadas para avaliar a adoção de novas tecnologias.

 Para chegar lá, 74,8% dos profissionais do setor pretendem investir em tecnologia para gestão de transportes ainda este ano, sendo que 39,41% do total já tem um orçamento previsto para isso. Para detalhar no que exatamente querem investir, as respostas mapearam recursos, tecnologias e pessoas, que são tangíveis pela renovação e aumento da frota (61%), tecnologias e softwares (57,6%) e treinamentos e capacitação de motoristas (54,1%).

E para as ferramentas principais, a listagem conta com gestão de combustível, telemetria e torre de controle.

Entre os três maiores segmentos respondentes que utilizam serviços de transporte e logística, Agronegócios domina com 17%, enquanto Alimentos e bebidas ficam em segundo com 15% e empresas de transporte e serviços de logística em terceiro com 14%. Entre todos os entrevistados, 96,9% utilizam apenas transporte rodoviário para mover produtos e matérias primas e dependem de boas condições e estrutura para isso. Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) a região Sudeste é a mais rica do País, concentrando 55,4% do PIB nacional, o que reflete no fato de os respondentes do Sudeste liderarem o setor de transportes em tamanho e atuação, com 63% da produção anual, sendo 41% dela somente no estado de São Paulo.

 Do perfil dos respondentes, 42,9% trabalham diretamente na área de frota e transporte (31,4%) e logística e Supply Chain (10,7%), enquanto 16,1% respondem pelo setor administrativo. Entre os principais cargos, 23,4% são supervisores ou coordenadores, 21%% gerentes e 18,1% são analistas. A faixa dos baby boomers saiu de 7,9% em 2022 para 3,7% no último ano, e a análise mostrou que o mercado ampliou oportunidades para o percentual das demais gerações – X – Y e Z.

 “A tecnologia para uso na gestão de frotas e logística foi percebida como o grande diferencial competitivo no mercado de transportes. Nossa missão com a pesquisa foi entender melhor as necessidades do setor e atendê-las da melhor maneira para cumprir as exigências atuais e propor inovações realmente efetivas no dia a dia. A inteligência artificial é capaz de reduzir custos, zerar o número de acidentes, e dar condições de tomadas de decisões práticas e eficientes”. Destaca Rony Neri, diretor Latam da Trimble Transportation.

Bruno Castilho

bruno@cargasetransportes.com.br