25 de fevereiro de 2024

CARGAS

O site dos transportes

Associativismo no transporte

Brasil cresce com associativismo buscando oportunidades para a sociedade. Segundo entidade, modelo tem potencial suficiente para expansão em termos de geração de emprego, da economia e de crescimento para empresas

O associativismo é o princípio para o crescimento de uma sociedade por se tratar da livre organização de pessoas que buscam sanar necessidades e realizar objetivos coletivos. Assim, diz respeito a uma prática social de organizar associações, independentemente da sua área de atuação, reunindo pessoas físicas ou jurídicas que se representam mutuamente diante dos interesses dos envolvidos. O destaque deste princípio é que as associações tendem a ter uma maior longevidade, uma vez que a sua estrutura de propriedade e gestão é baseada na cooperação entre os seus membros.

O associativismo vem apresentando crescimento constante no Brasil por meio de diversas iniciativas de pequenos empreendedores. De acordo com estudo do Global Entrepreneurship Monitor (GEM), pequenas empresas produzem cerca de 25% da riqueza e empregam 50% de todos os trabalhadores brasileiros. Além disso, um estudo realizado pelo Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea) do governo federal aponta que o Brasil fechou 2017 com 820 mil organizações da sociedade civil, 99 mil das quais eram representadas por associações civis sem fins lucrativos. Estes dados representaram um aumento de mais de 100% desde a apresentação dos números em uma pesquisa anterior.

Esse modelo tem crescido tanto, que se pulverizou em diferentes setores. Um deles é a proteção veicular, área de atuação da APVS Truck, que atua no ramo com os veículos pesados e hoje conta com mais de 3.000 parceiros cadastrados em sua base.

Segundo Alberto Andrade, superintendente da APVS Truck, “uma associação é uma sociedade civil sem fins lucrativos, que reúne pessoas com interesses em comum, buscando a representação coletiva no âmbito social, político e econômico. Os principais benefícios da cultura associativista estão relacionados a representatividade, a pertencimento, a oportunidade e – por que não? – a uma fonte de renda”.

 Por uma perspectiva econômica, as associações defendem que o associativismo trabalha em uma lacuna do mercado tradicional ao permitir uma economia de escala, maior poder de negociação e redução de riscos. “É graças a essa forma conjunta que os agentes econômicos buscam a cooperação para maximizar seus objetivos. O associativismo tem uma diversidade de benefícios que causam impacto direto em seus associados e na sociedade como um todo”, adiciona Alberto.

A APVS Truck acredita que há atualmente um aumento significativo da conscientização sobre as vantagens oferecidas por uma associação, e esse é um dos motivos para o maior número de novos associados nos últimos anos. Para a entidade, o associativismo tem potencial suficiente para expansão em termos de geração de emprego e de movimentação da economia, principalmente no setor de transportes.

“Se fôssemos listar hoje cada uma das categorias vinculadas ao segmento de proteção veicular e seus benefícios atrelados, o ecossistema APVS Truck englobaria mais de 20 mil pessoas. Dessa forma, podemos afirmar que o associativismo gera oportunidades em diversos setores da economia, e muitos brasileiros têm, seja de forma direta ou indireta, uma fonte de trabalho e de renda, evidenciando mais uma vez a capacidade que o movimento possui de gerar trabalho e renda para o país”, finaliza o superintendente.

Bruno Castilho

bruno@cargasetransportes.com.br