20 de abril de 2024

CARGAS

O site dos transportes

Multilog no porto

Operação portuária da Multilog na Bahia aumenta junto a indústrias e ao setor de mineração e impulsiona sua atuação no Nordeste. Crescimento da produção de minérios e celulose, além do potencial para atender o setor eólico, ampliam as projeções de crescimento dos negócios da empresa de logística integrada

O crescimento da movimentação logística de setores como o de mineração e celulose e papel na Bahia está impulsionando os negócios da Multilog, uma das principais empresas de logística integrada do país, tanto no estado quanto na região Nordeste. Com operação nos portos de Salvador e Ilhéus, a empresa vem prestando serviços para mineradoras e indústrias, e prevê expandir ainda mais sua atuação portuária na região.

“A Bahia tem se destacado no mapa nacional da mineração, com crescimento da produção, e também nos setores de celulose e químico e, em razão disso, estamos sendo procurados para participar de mais projetos para embarque e desembarque de produtos”, conta Murillo Mello, diretor regional Nordeste da Multilog. Ele destaca que a operação local deve impulsionar inclusive o crescimento da companhia na região Nordeste, contando com uma estrutura de operação de logística integrada.

Na área de energias renováveis, a empresa também conta com estrutura operacional para manejar a chegada de grandes equipamentos, como pás e torres eólicas, que chegam por navios, para atender os novos parques instalados no Estado. “A Bahia se tornou um polo de energia dos ventos, com diversos parques instalados e outros em construção, e estamos atentos aos negócios relacionados a este setor”, conta o diretor.

Hoje a Multilog realiza operações importantes nos dois terminais portuários. Entre elas, destaca-se o armazenamento e o embarque de celulose solúvel especial (matéria-prima utilizada como ingrediente para a fabricação de produtos alimentícios e farmacêuticos, entre outros usos) em navios que seguem para a Ásia. São embarcadas, em média, 14 mil toneladas/mês em Salvador, divididas em duas remessas de 7 mil toneladas/dia, realizadas no prazo de dois dias. O volume corresponde a cerca de 500 contêineres mensais, o que requer o uso de equipamentos especiais, como empilhadeiras com garras específicas para fardos de celulose.

“Trata-se da nossa principal movimentação portuária que, além dos equipamentos, inclui toda a parte dos sistemas de gestão das operações”, afirma Murillo Mello.

Já em Ilhéus, para o setor de mineração, a Multilog realiza uma operação que engloba o armazenamento e embarque de concentrado de níquel a granel, minério muito utilizado na fabricação de baterias recarregáveis. A empresa recebe as carretas transportadoras do produto diariamente, durante cerca de 25 dias, em caminhões caçambas, e realiza o embarque nos navios em um dia e meio com caixas articuladas.

Nessa mesma linha de atuação, a Multilog faz outra operação de exportação de concentrado de lítio, minério também utilizado em baterias dos carros elétricos, na qual embarca trimestralmente em navios perto de 8 mil toneladas.

“Os serviços portuários realizados na Bahia contribuem para dar mais robustez à atuação da Multilog em âmbito nacional, ampliando a integração logística entre as regiões e permitindo a oferta de operações relacionadas ao transporte marítimo”, destaca o diretor.

A Multilog já movimenta uma receita operacional bruta superior a R$ 100 milhões no Estado – o equivalente a 8% do total do grupo, e atua para elevar o faturamento para R$ 250 milhões nos próximos anos, com a contribuição das operações portuárias.

Multilog

A Multilog se posiciona como uma plataforma consolidadora de operações logísticas no país. É líder em pontos de fronteiras secas no Mercosul. Possui Registro de Operador Econômico Autorizado (OEA) para atuar em cinco centros logísticos industriais e aduaneiros e um porto seco. Possui dois escritórios corporativos e 37 unidades com 2,2 milhões m² de áreas de armazenagem. Atende clientes de diversos setores, incluindo alimentos, bens de consumo, saúde, químico, automotivo & industrial, agronegócio e tech.

Fundada em Santa Catarina, com mais de duas décadas de expertise de logística, a empresa recebeu a autorização da primeira Estação Aduaneira do Interior (EADI) em 1996, começando a operar. Em 2016, passou a atuar no Paraná e no Rio Grande do Sul após aquisição de outras empresas do mercado e, ao final de 2017, iniciou em São Paulo. Em 2022, seguindo o projeto de expansão, realizou duas aquisições, que contemplam unidades distribuídas no Nordeste, em São Paulo e Santa Catarina, atingindo o faturamento de R$ 1 bilhão.

Bruno Castilho

bruno@cargasetransportes.com.br