27 de maio de 2024

CARGAS

O site dos transportes

José Carlos Spricigo também é CEO da Librelato

Anfir otimista

Associação mantém previsão de 75 mil reboques e semirreboques para 2023. Mercado de carroceria sobre chassis deve ficar em torno de 60 mil unidades. Juros altos e inadimplência prejudicam acesso a financiamentos, mas nova previsão de PIB melhora expectativa

O mercado de reboques e semirreboques deverá em 2023 totalizar 75 mil emplacamentos. “Os negócios que suportam o segmento pesado, como agronegócio e construção civil, seguem em alta e nossa indústria está respondendo o desafio de atender a demanda”, diz José Carlos Spricigo, presidente da Anfir – Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários.

O segmento de carroceria sobre chassis, que tem suas vendas ligadas às operações urbanas de logística, deverá fechar o ano com 60 mil produtos emplacados. “O ritmo dos negócios nos dois segmentos onde atuamos não é uniforme”, explica o executivo que completa: “o mercado atravessa dificuldades para obtenção de crédito”.

A taxa de juros elevada e a inadimplência nas empresas criam as condições para que o acesso ao financiamento fique mais difícil. “As dificuldades existem, mas entendemos que elas não são insuperáveis e surgem visões positivas no mercado financeiro que nos animam”, diz Spricigo se referindo a nova projeção do PIB anual feita pelo Banco Central.

No boletim Focus, que reúne as projeções de mais de 100 instituições do mercado financeiro para os principais indicadores econômicos do país, o Banco Central informou que o crescimento da economia para 2023 deverá ser de 2,19%. “Essa foi à oitava vez que o BC elevou sua previsão o que de certa forma ajuda a balizar nossa expectativa que a reação positiva segue”, conclui Spricigo.

Bruno Castilho

bruno@cargasetransportes.com.br