22 de maio de 2024

CARGAS

O site dos transportes

Melodivo Teixeira

Negociando o caminhão

Tecnologia em favor dos negócios: cinco dicas para negociar um caminhão novo ou usado.  Táticas simples e não confrontantes podem ajudar até mesmo os compradores que odeiam pechinchar a conseguir o melhor negócio

A venda de caminhões novos recuou 22,3% em abril em relação a março deste ano.  Do mesmo modo, houve queda de 22,16% na comparação ao mesmo período de 2022, segundo levantamento da Fenabrave, que reúne as associações de concessionárias do Brasil. O cenário vem das consequências pós-pandemia, aliadas a alta da inflação e juros elevados.

Este ano, os trabalhadores do setor estão pensando duas vezes antes de trocar seus veículos e contrair uma dívida de centenas de reais, levando em consideração toda a conjuntura econômica e as características de um caminhão, considerado um ativo de grande valor agregado, mas de fácil depreciação. Porém, o segmento é um dos mais importantes do Brasil e não pode parar, nem se tornar sucateado.

O escoamento da produção predomina nas estradas. Uma pesquisa divulgada pela Fundação Dom Cabral mostra que 75% de tudo que é produzido no país é transportado por meio do modal rodoviário. Com 1,8 milhão de quilômetros de rodovias, sua economia gira fortemente em torno do segmento – o que é comprovado quando a categoria precisa cruzar os braços e o Brasil praticamente para de funcionar.

Então como é possível adquirir bons veículos para seguir atualizado e mantendo o trabalho dinâmico? Um direcionamento fundamental é saber negociar na hora de fazer a compra.

Táticas simples e não confrontantes podem ajudar até mesmo os compradores que odeiam pechinchar a conseguir o melhor negócio. Essas estratégias, combinadas com ferramentas online, podem ajudá-lo a encontrar o melhor preço e ainda evitar golpes. Veja cinco dicas para escolher da melhor forma veículos novos ou usados:

1. Segurança é fundamental

A primeira coisa a se observar é se a transação oferece algum perigo. Em uma sociedade cada vez mais digital, cresce também a quantidade de crimes cibernéticos, então é fundamental nunca compartilhar dados pessoais e bancários com empresas ou vendedores. Plataformas sérias não vão pedir informações sem que haja extrema necessidade.

2. De olho na documentação

Neste mesmo sentido, é sempre válido consultar previamente a placa do caminhão e a documentação do ex-proprietário para não cair em situações onde as multas podem sair mais caras que o veículo, por exemplo.

3. Nunca pague tudo antes da conclusão

Com a situação legal conferida, é ideal aguardar a transferência do documento para seu nome antes de fazer o pagamento, especialmente em tempos de pix, onde não existe nem sequer possibilidade de estorno. Evitar dar sinais abusivos também é importante. Uma empresa conceituada dificilmente vai fazer pedidos desta natureza.

4. Credibilidade faz a diferença

Outra dica importante é ficar de olho na procedência da empresa que utilizava o caminhão. Conhecer a política da transportadora, independente do segmento e, após checar a credibilidade, optar por  companhias conhecidas pela boa gestão de frota, manutenção dentro dos prazos, foco em direção defensiva e limpeza. Neste quesito, observar a apresentação da equipe também pode ajudar, já que quem cuida da parte externa tem mais probabilidade de ter zelo quanto à mecânica e elétrica dos veículos.

5. Tecnologia e inovação

Em tempos de digitalização acelerada, nada mais inteligente do que usar a tecnologia em favor dos projetos profissionais ou pessoais. Hoje, a tecnologia disponível para essas transações torna tudo mais transparente e amplia as gamas de opções para fazer bons negócios, investir em sua frota com segurança e alavancar os ganhos com inteligência.

Artigo de Melodivo Teixeira, CEO da Quero Truck