20 de abril de 2024

CARGAS

O site dos transportes

Dia da logística

Executivos avaliam oportunidades e potenciais do setor. O ramo da logística recentemente atingiu a marca de consumo de 12,7% do PIB brasileiro, onde o valor total se aproxima de R$ 750 bilhões

O ramo da logística recentemente atingiu a marca de consumo de 12,7% do PIB brasileiro, onde o valor total se aproxima de R$ 750 bilhões. Esses dados refletem o crescimento exponencial que o setor vem apresentando nos últimos anos, mas ainda assim, ainda existem alguns obstáculos no dia-a-dia de quem exerce funções dentro do ramo. Pensando nisso, no dia da logística, especialistas discutem o futuro do mercado e apontam como evoluir ainda mais o setor.

Para Vasco Oliveira, fundador e CEO da nstech, plataforma open logistics, apesar da tardia digitalização da área de transportes, em breve tecnologias com a da nstech vão ganhar o mundo para levar mais competitividade e qualidade às operações.

“Essa fragmentação do mercado logístico gera frentes ineficientes que prejudicam a agilidade na resolução de diversos problemas. Além disso, ainda existem no mercado processos lentos e caros. Com a nstech e nossa gama de soluções temos auxiliado a catalisar as principais dores que surgem com complexidade desses processos logísticos, gerando avanços hoje que vão impactar no futuro”, explica o CEO.

O profissional que conta com mais de 20 anos de experiência no mercado logístico, reforça também que o Brasil está caminhando rapidamente para criar soluções realmente inovadoras que mudarão, em poucos anos, essa realidade. E que parte fundamental disso é ter dados de qualidade para fazer uma boa otimização da cadeia.

Já Caio Reina, CEO e fundador da RoutEasy, startup que oferece soluções 360 no setor de logística, diz que a hiperautomação é uma tendência para os próximos anos. “As empresas vão precisar se adequar aos avanços tecnológicos e usar soluções para otimizar diferentes processos. É preciso entender que elas não vieram para substituir o ser humano, mas sim para substituir tarefas mais burocráticas, permitindo que os colaboradores foquem nas atividades que necessitem do lado humano”, afirma o profissional.

Reina ainda completa que o uso dessas novas tecnologias nos processos logísticos permite uma diminuição dos erros dentro das operações. Ele ainda ressalta que há diversos outros benefícios como:  agilidade na execução de tarefas, aumento de produtividade, redução de custos operacionais e melhoria da experiência do consumidor final.

André Pimenta, CEO da Motz, transportadora digital que agiliza e simplifica a jornada logística de caminhoneiros e embarcadores, também comenta sobre a importância da tecnologia, mas, nesse caso, seu destaque é para as inovações aplicadas à parte do transporte de produtos.

“A aplicação de tecnologias nos processos de transporte de cargas resulta em operações ágeis e menos onerosas, agregando positivamente para os processos logísticos. Além disso, as ferramentas permitem que tenhamos um contato cada vez mais próximo com nossos parceiros, nos posicionando como o braço direito de caminhoneiros e embarcadores”, ressalta o profissional.

Bruno Castilho

bruno@cargasetransportes.com.br