20 de abril de 2024

CARGAS

O site dos transportes

Rebocadores da Wilson Sons na Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

Faturando!

Lucro da Wilson Sons cresce 51% em 2022 para R$ 339 milhões. Receita de R$ 2,3 bilhões fica 6% acima de 2021. Os resultados positivos da companhia refletem um mix de receita melhor na divisão de rebocadores; condições favoráveis de volume para o negócio de logística internacional, a Allink; maior atividade operacional na unidade de bases de apoio offshore; e o aumento da receita de agência marítima

A Wilson Sons, empresa de logística portuária e marítima no Brasil, registrou lucro líquido de R$ 113 milhões no quarto trimestre de 2022 (4T22), 169% superior ao mesmo período de 2021. No acumulado do ano passado, o lucro líquido da companhia foi de R$ 339 milhões, apresentando um crescimento de 51% em relação a 2021. A receita líquida, por sua vez, somou R$ 2,3 bilhões no ano, avançando mais de 6% sobre o comparativo. O EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) totalizou R$ 939 milhões, ficando 9% acima de 2021.

Listada no segmento do Novo Mercado da B3 sob o código PORT3, a Wilson Sons divulgou seus resultados financeiros nesta quinta-feira (23/03), após o encerramento do pregão da bolsa de valores brasileira.

Os resultados positivos da companhia em 2022 refletem um mix de receita melhor na divisão de rebocadores; condições favoráveis de volume para o negócio de logística internacional, a Allink; maior atividade operacional na unidade de bases de apoio offshore; e o aumento da receita de agência marítima.

A receita líquida de rebocadores cresceu 5% em 2022, com um aumento na receita média por manobra e operações especiais. Durante o ano passado, a Wilson Sons entregou o WS Centaurus e o WS Orion, os dois primeiros de uma série de seis rebocadores com mais de 90 toneladas de tração estática que se juntarão à sua frota até 2024, alcançando a marca histórica de 150 embarcações construídas nos estaleiros da companhia.

Ambas as embarcações já estão em operação, servindo os maiores graneleiros que escalam os portos brasileiros atualmente, com capacidades que atingem 400.000 toneladas de porte bruto.

Nos terminais, o resultado de 2022 foi afetado pela escassez de contêineres vazios e gargalos logísticos globais, causando cancelamentos de escalas de navios. Apesar da queda de volume, a receita cresceu ligeiramente ano contra ano com o aumento da receita de armazenagem. Apesar dos desafios enfrentados no ano passado, a situação começou a melhorar, e os volumes agregados registraram crescimento de 5% nos dois primeiros meses de 2023.

Em 2022, a demanda por serviços da Wilson Sons associados ao mercado de energia offshore melhorou de forma expressiva, à medida que as atracações nas bases de apoio offshore aumentaram 31% em relação a 2021, e os dias em operação da joint venture de embarcações de apoio offshore cresceram 20% ano contra ano. No 4T22, novos contratos de base de apoio foram assinados com a Petronas e a 3R Petroleum, e os PSVs Torda, Biguá e Fulmar começaram a operar sob novos contratos de quatro anos com a Petrobras.

“Olhando para os dois últimos anos de distúrbios causados pela pandemia nas cadeias logísticas globais, temos o prazer de reportar que a Wilson Sons teve um bom desempenho, enfrentando esses desafios enquanto manteve o crescimento, garantindo a segurança dos nossos colaboradores, e a continuidade do excelente serviço prestado aos nossos clientes e parceiros de fluxos comerciais”, afirmou Fernando Salek, CEO da Wilson Sons, acrescentando

“Continuamos buscando um desempenho de classe mundial da nossa infraestrutura, mantendo a segurança das nossas operações, e buscando consistentemente oportunidades para alavancar nossa posição de mercado, refletindo a resiliência do nosso modelo de negócio e a versatilidade dos nossos serviços para desafiar e transformar o transporte marítimo em benefício de todos os nossos stakeholders”, acrescentou Fernando.

No 4T22, a Wilson Sons distribuiu dividendos intermediários no total de R$ 69 milhões (R$ 0,16/ação). A proposta de dividendos anuais para 2022 é de R$ 0,312/ação, que atualmente somam R$ 137 milhões com base nas ações emitidas, que serão pagos em maio de 2023, complementando os valores intermediários já distribuídos.

Destaques da agenda ambiental, social e de governança (ESG)

Em 2022, a Wilson Sons registrou uma taxa de frequência de acidentes com afastamento de 0,45 incidentes por um milhão de horas trabalhadas, superando a referência de classe mundial, e representando uma redução de 29% em relação a 2021. Esse desempenho evidencia o compromisso incessante da companhia com a segurança de seus colaboradores.

Em setembro, o primeiro relatório de sustentabilidade da companhia foi eleito o vencedor entre os 13 participantes na categoria de serviços do ESG Investing Reporting Awards 2022. No total, mais de 300 relatórios foram avaliados.

Em outubro, pelo segundo ano consecutivo, o inventário de emissões de gases de efeito estufa da Wilson Sons recebeu o selo ouro no programa brasileiro da GHG Protocol, a ferramenta mais utilizada por empresas e governos para avaliar, quantificar e gerenciar suas emissões. Esse prêmio reforça a agenda da companhia no combate às mudanças climáticas e atesta seu compromisso permanente com o meio ambiente.

A Wilson Sons também figurou, em novembro, no quintil superior da indústria na Avaliação de Sustentabilidade Corporativa da S&P Global, com 85% das empresas alcançando uma pontuação ESG igual ou inferior.

Bruno Castilho

bruno@cargasetrabsportes.com.br