25 de junho de 2024

CARGAS

O site dos transportes

Saldo positivo

Santos Brasil reporta lucro líquido de R 430 milhões em 2022. Resultado é 67,5% maior que o do ano anterior; movimentação consolidada de contêineres foi de 1.298.597 no período

A Santos Brasil encerrou o ano de 2022 com um lucro líquido de R$ 430 milhões, o que representa um aumento de 67,5% se comparado a 2021. A margem líquida ficou em 22,2%.

O faturamento bruto da companhia superou o patamar de R$ 2 bilhões no ano, atingindo R$ 2,2 bilhões (+25,4% YoY). A receita líquida somou R$ 1,9 bilhão em 2022, um crescimento de 25,9% em relação a 2021.

A geração de caixa operacional, representada pelo EBITDA, alcançou R$ 810 milhões, 42,4% maior que o ano anterior, com margem EBITDA de 41,9%, ganho de 5,2 p.p. em relação a 2021.

A distribuição de proventos aos acionistas da Companhia referentes ao exercício social de 2022 ficou em R$ 535 milhões. Trata-se do maior pagamento de dividendos e juros sobre o capital próprio dos últimos dez anos. A Santos Brasil encerrou o ano com R$ 614,6 milhões em posição de caixa e aplicações financeiras.

Já no 4T22, a receita líquida da Companhia cresceu 5,7% YoY, atingindo R$ 468,8 milhões, com destaque para o aumento do ticket médio em todas as unidades de negócio, reflexo de renegociações contratuais. Na Santos Brasil Logística o crescimento foi de 25,2% YoY na receita líquida, reflexo do aumento do ticket médio e melhor mix de carga armazenada; e no TEV o aumento foi de 17,0% YoY na receita líquida devido ao maior volume de veículos armazenados e aumento do ticket médio.

O EBITDA do 4T22 foi de R$ 198,3 milhões (+24,2% YoY), com margem EBITDA de 42,3% (+6,6 p.p. YoY). Já o Lucro Líquido alcançou R$ 135,5 milhões no período (+23,2% YoY). Em 2022, os investimentos da Companhia somaram R$ 406,4 milhões, 69,5% mais que em 2021.

De acordo com Daniel Pedreira Dorea, diretor econômico-financeiro e de relações com investidores da Santos Brasil, o ano de 2022 foi histórico, com recordes nos resultados financeiros.

“Nossa estratégia de excelência nos serviços prestados, de preservação e captura dos volumes disponíveis e de recomposição de preços se mostrou acertada para que conseguíssemos navegar com resiliência em um cenário desafiador, de estabilização nos volumes operados, e ainda assim apresentar um relevante crescimento financeiro”. Para 2023, a expectativa da Companhia é de volumes relativamente estáveis, mas com espaço para crescer a partir da recomposição do ticket-médio praticado e de um maior controle de custos e despesas.

Resultado operacional

A movimentação consolidada nos três terminais de contêineres da Companhia – Santos (SP), Imbituba (SC) e Vila do Conde (PA) — em 2022 foi de 1.298.597 (-0,2% YoY).

No 4T22, os três terminais juntos movimentaram 296.115 unidades, queda de 7,9% em relação ao 4T21. O desempenho foi impactado pela normalização da sazonalidade nas importações do Porto de Santos, principalmente, após dois anos de deslocamento do peak season para o 4º trimestre em função da pandemia da Covid-19. Também influenciaram o desaquecimento das importações de bens de consumo e a estiagem na foz do Rio Amazonas, que provocou cancelamentos de escalas nos serviços de cabotagem que operam no Tecon Santos.

Em razão destes eventos, o Tecon Santos registrou queda de 9,9% YoY na movimentação do 4T22, atingindo 259.538 contêineres, com menores volumes nas operações de longo curso (-9,5% YoY) e de cabotagem (-11,7% YoY). No trimestre, o market share do terminal no porto de Santos foi de 36,6% (vs. 39,8% no 4T21). Em 2022, os volumes operados no Tecon Santos se mantiveram praticamente estáveis, com ligeira queda de 0,4% YoY.

O Tecon Vila do Conde apresentou alta na movimentação de 3,9% YoY (23.379 contêineres), com crescimento de 26,1% YoY na cabotagem, que foi beneficiada pelo maior fluxo de bens manufaturados, devido às vendas de final de ano, e pela estiagem na foz do Rio Amazonas, que tornou o terminal a opção mais vantajosa para o escoamento de cargas da Região Norte.

No Tecon Imbituba, a movimentação cresceu 17,6% YoY no 4T22, somando 13.198 contêineres, resultado impulsionado pela safra de arroz. Já o TCG Imbituba operou 23.079 toneladas de cargas gerais (-80,5% YoY), sendo a queda explicada pelos menores embarques de celulose.

O TEV movimentou 65.017 veículos no 4T22, o que representa um crescimento de 32,7% YoY. Foram 56.867 veículos exportados (+21,5% YoY) e 8.150 veículos importados (+268,3% YoY). Os terminais de líquidos de Itaqui TGL 01 e TGL 03 iniciaram suas operações em novembro, com assinatura de contratos comerciais no mês seguinte.

Na Santos Brasil Logística, observou-se queda de 14,6% YoY no número de contêineres armazenados no 4T22, impactado pelo arrefecimento das importações no Porto de Santos. A redução também é explicada pela forte base de comparação do 4T21, quando o Porto de Santos teve um fluxo extraordinário de importação de contêineres devido ao deslocamento da sazonalidade para o último trimestre do ano. Os centros de distribuição, entretanto, cresceram a movimentação de pallets em 11,0% YoY no período, reflexo do aumento das operações de logística integrada 3PL.

Bruno Castilho

bruno@cargasetransportes.com.br