25 de junho de 2024

CARGAS

O site dos transportes

Por um transporte melhor

Project44 quer aumentar a eficiência do transporte de cargas rodoviárias no Brasil. Plataforma de visibilidade em tempo real fornece insights operacionais que ajudam empresas de qualquer tamanho a reduzir atrasos nas entregas e a ganhar competitividade

 A project44, líder mundial em visibilidade para a cadeia de suprimentos, está empenhada em contribuir para uma maior eficiência e transparência no transporte rodoviário de cargas (over-the-road, ou OTR na sigla em inglês) no Brasil por meio de dados precisos e em tempo real. A empresa é parceira estratégica de grandes transportadoras brasileiras, principalmente na região Sudeste, que concentra quase 30% da malha rodoviária do Brasil, de acordo com a Confederação Nacional do Transporte (CNT).

Até o final deste ano, a project44 tem como meta estender o crescimento de sua plataforma de visibilidade da cadeia de suprimentos, a Movement by project44, para ajudar a melhorar a logística multimodal no Norte e Nordeste do país. Essas regiões apresentam desafios logísticos devido à infraestrutura rodoviária menos desenvolvida e fragmentada, muitas vezes implicando o uso de hidrovias para completar as rotas de transporte.

De acordo com o Anuário do Transporte 2021 da CNT, as empresas do setor no Brasil possuem uma frota de aproximadamente 1,3 milhão de caminhões. Entre as principais operadoras no Brasil, uma das líderes no segmento de cargas fracionadas (LTL), com frota de mais de quatro mil caminhões e uma participação de mercado de cerca de 10% neste segmento no território nacional, está utilizando a plataforma de software da project44 para obter uma vantagem competitiva e melhorar a experiência do cliente, com melhor desempenho de entregas no prazo.

A project44 também está apta a atender transportadoras com frotas com menos de 50 caminhões. No Estado de São Paulo, tais operações representam mais de 60% das transportadoras, conforme mostram dados do Instituto Paulista do Transporte de Cargas (IPTC) em 2022, entidade ligada ao Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas de São Paulo e Região (SETCESP).

A plataforma da empresa combina blockchain, inteligência artificial (AI) e machine learning, entre outras tecnologias, para fornecer visibilidade de ponta a ponta em tempo real, identificando onde uma remessa está localizada ao longo de sua jornada. Além disso, monitora os níveis de congestionamento em rodovias e terminais de distribuição, facilitando o planejamento logístico e eventuais mudanças estratégicas de rotas.

Queda nas entregas dentro do prazo

Por meio da plataforma, é possível identificar, por exemplo, que os atrasos no transporte rodoviário de cargas no Brasil aumentaram nos últimos meses. A entrega pontual, que era de 60,4% em julho de 2022 (melhor resultado dos últimos dois anos), diminuiu progressivamente até chegar a 51% em janeiro último.

“As novas tecnologias representam uma oportunidade real para aumentar a eficiência do modal rodoviário, que responde por mais de 60% do transporte de cargas e produtos no Brasil”, afirma Pierre Jacquin, vice-presidente da project44 para América Latina.

Para as transportadoras, a adoção de tecnologia avançada de visibilidade representa um avanço em relação ao uso de soluções de telemetria/ELD, isto é, dispositivos de controle eletrônico que coletam e armazenam informações relevantes sobre a operação de caminhões e outros veículos. Globalmente, a plataforma project44 está integrada com mais de 950 desses sistemas telemáticos, incluindo os mais utilizados no mercado brasileiro.

 A plataforma Movement by project44 tem interface própria com o usuário ou pode ser integrada aos sistemas de gestão logística por meio de uma API (Application Programming Interface), oferecendo visibilidade em tempo real das cargas, cálculos de tempo estimado de chegada (ETA) e outros insights, bem como ferramentas de fluxo de trabalho.

Expedidores, transportadoras, operadores logísticos e clientes são atualizados com dados em tempo real para ajudar a melhorar a colaboração para resolver rapidamente a mitigar atrasos de remessa ao serem capacitados com informações e transparência logísticas aprimoradas.

Em levantamento feito pelo Instituto Paulista do Transporte de Cargas (IPTC), 63% das empresas de transporte rodoviário consultadas afirmaram que pretendem investir em novas tecnologias em 2023.

Dados do Relatório Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (RNTRC), da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), apontam mais de 295 mil Transportadoras de Cargas (ETC) e mais de 500 Cooperativas de Transporte de Cargas (CTC) operando no país. “Nossa plataforma pode ser implementada por essas organizações para aumentar substancialmente a resiliência e a qualidade das operações de transporte rodoviário em toda a América Latina”, diz Jacquin.

Bruno Castilho

bruno@cargasetransportes.com.br