22 de maio de 2024

CARGAS

O site dos transportes

Alessandra Gaspar Costa

ISO 39001 como alternativa

Norma internacional serve para organizações manterem a segurança em transportes. Ela conta com critérios elaborados para reduzir e, se possível, eliminar a incidência de lesões graves e mortes em acidentes de trânsito

De 2020 para 2021 o número de acidentes, lesões e mortes nas rodovias federais, passou respectivamente de 63.548 para 64.441, 71.480 para 71.690 e 5.291 para 5.381. Mesmo com o crescimento tímido, um alerta se acende uma vez que os dados não apresentavam crescimento desde 2011.

Para organizações que trabalham com transporte, estar envolvido em um acidente pode significar – além de lesões graves e fatais – perda de cargas e credibilidade perante os clientes e mercado. Diante da grande concorrência, correr esse risco implica grandes prejuízos, levando, inclusive, ao fechamento do negócio.

Para auxiliar organizações que trabalham especificamente com transportes e até aquelas que atuam em outros segmentos, foi desenvolvida a norma internacional ISO 39001 – Sistema de Gestão de Segurança Viária, que conta com critérios elaborados para reduzir e, se possível, eliminar a incidência de lesões graves e mortes em acidentes de trânsito.

Primeiramente, é avaliado o contexto da organização que deseja implementar a ISO 39001, analisando-se como minimizar os pontos fracos e maximizar os fortes. Outras ações são os estudos de rotas mais seguras, implementação de tecnologia nos transportes para avisos de necessidade de manutenção e a educação dos colaboradores da organização, para que todos saibam quais medidas devem ser tomadas em caso de acidentes.

A ISO 39001 possibilita a continuidade do negócio para as organizações, com foco em evitar acidentes, que resultam, muitas vezes, em grandes taxas de absentismo. Além disso, esta norma pode ser facilmente integrada com outras ISO, como a 45001 (Sistema de Gestão de Saúde e Segurança Ocupacional), 14001 (Sistema de Gestão Ambiental e a ISO 9001 (Sistema de Gestão da Qualidade), que também seguem a mesma estrutura Anexo SL (Structure Level).

Para organizações cuja principal atividade não são transportes, a norma traz opções que reduzem o estresse improdutivo entre os colaboradores, como o transporte compartilhado para ida e volta do trabalho e a flexibilidade de horários, driblando assim o tráfego intenso ou até mesmo dando embasamento para a adoção do homeoffice.

Como garantia que a implementação da norma foi um sucesso, uma das etapas é a avaliação de desempenho, que inclui monitorar as ações, verificar o cumprimento de metas, realizar as análises de acidentes de trânsito e do sistema de gestão, corrigindo erros e melhorando resultados já positivos.

Artigo de Alessandra Gaspar Costa, diretora executiva da APCER Brasil, empresa de origem portuguesa, reconhecida mundialmente como um dos principais prestadores de serviços de certificação, auditoria a fornecedores, auditoria interna e treinamento