20 de maio de 2024

CARGAS

O site dos transportes

Bruno Tortorello

Black Friday e Copa

É preciso estar preparado para Black Friday e Copa do Mundo. Tal combinação de eventos move as pessoas e podem impulsionar as vendas do e-commerce, conforme revelaram pesquisas recentemente divulgadas pelo Google, sobre as intenções de compras

A Black Friday é um dos eventos mais aguardados do varejo e nesse ano será realizada em 25 de novembro, quase que concomitantemente com o início da Copa do Mundo do Catar e a estreia da seleção brasileira no torneio.

Tal combinação de eventos move as pessoas e podem impulsionar as vendas do e-commerce, conforme revelaram pesquisas recentemente divulgadas pelo Google, sobre as intenções de compras na Black Friday 2022. Os dados trouxeram alguns insights importantes para que os players de todo o ecossistema do comércio eletrônico estejam preparados para o que está por vir, especialmente as transportadoras, responsáveis pelas entregas das encomendas.

Após o período de quatro anos, sendo os últimos dois dentro de uma pandemia, os brasileiros demonstraram animação com a realização de uma nova Copa, de modo que, segundo números divulgados, 86% pretendem acompanhar o mundial e 66% afirmaram que querem comprar algum produto ou serviço alusivo ao torneio, para assistir aos jogos devidamente preparados.

Entre os principais produtos a serem adquiridos estão as televisões, cujas vendas historicamente sempre ficam em alta nos períodos que antecedem as Copas do Mundo e na Black Friday. Os consumidores estão propensos a comprar uma TV nova para assistir aos jogos, aproveitando para substituir tecnologias antigas por tecnologias mais recentes aplicadas nesses aparelhos.

Itens de informática, eletrodomésticos, eletroportáteis, móveis e demais artigos esportivos também devem ter acréscimo de procura no período. A camiseta da seleção brasileira, por exemplo, é outro produto visado durante todo o período da Copa, inclusive após os jogos, considerando que muitos dos consumidores consultados disseram que têm a intenção de adquirir a peça de roupa.

Apesar da expectativa do aumento da demanda de consumo do e-commerce ser anterior aos eventos, com a compra pela internet dos produtos e categorias já mencionados, os dados divulgados revelaram que os varejistas não necessariamente precisarão adiantar as promoções de Black Friday. Isso porque boa parte dos consumidores irá antecipar compras somente se for surpreendido por uma promoção imperdível ou mais atrativa do que a esperada para 25 de novembro.

Outro ponto revelado que corrobora com a não necessidade de antecipação de promoções é que, em 2018, o ano da última Copa na Rússia, as buscas por produtos relacionados ao evento começaram a crescer somente cerca de 15 dias antes da estreia da seleção brasileira.

Contudo, os e-shoppers já estão atentos em relação à jornada de compra e pesquisando sobre os produtos de interesse, e isso abre espaço para que os varejistas antecipem o relacionamento com seus consumidores.

Neste cenário de perspectivas positivas, as transportadoras talvez sejam um dos primeiros players a se prepararem para coletar e entregar o grande volume de encomendas adquiridas pela internet e relacionadas aos dois eventos, através de um planejamento que permeia diversas ações.

Os consumidores estão cada vez mais exigentes, por isso a proposta é oferecer diversas soluções de transportes e uma infraestrutura robusta capaz de manter ou aprimorar a experiência do cliente.

Fazem parte do planejamento iniciativas como a instalação de uma War Room para a gestão de todas as movimentações, os plantões do custumer service e suporte técnico, a operação 24 horas por sete dias a partir da semana da Black Friday, a inclusão de um maior número de entregadores nas operações, a alocação de staff adicional para as diferentes frentes operacionais, a previsão para viagens adicionais no período, o espaço ampliado nos terminais para triagem de cargas e distribuição e a estrutura de TI ajustada, entre outros pontos.

Uma das apostas para o escoamento das entregas, e em favor da experiência positiva do consumidor, são as soluções OOH (Out Of Home, ou fora de casa), que podem otimizar o tempo do consumidor nesse período, pois normalmente a rotina fica mais apertada com diversos compromissos e as pessoas acabam permanecendo menos tempo em casa.

Essas soluções permitem a retirada da mercadoria em lockers e em pontos comerciais parceiros, incluindo lojas de conveniência, cafeterias e revendas de eletroeletrônicos. Tratam-se de opções práticas e convenientes, que reduzem o insucesso de entrega e os custos logísticos para os embarcadores e consumidores, pois, em média, são 20% mais baratas do que a entrega domiciliar.

As soluções OOH, também colaboram com a logística reversa do e-commerce por meio do drop off, permitindo que os consumidores realizem trocas ou devoluções de uma maneira fácil e conveniente.

Portanto, com as boas previsões de vendas dos varejistas virtuais e marketplaces em função dos dois eventos, é essencial que os players do e-commerce estejam com suas estratégias comerciais e de infraestrutura totalmente definidas e adaptadas para o momento, sempre em favor da diferenciação, do crescimento e da melhor experiência de seus clientes.

Artigo de Bruno Tortorello, CEO da Jadlog