20 de abril de 2024

CARGAS

O site dos transportes

Coca-Cola elétrica

Coca-Cola Femsa Brasil opera com caminhões elétricos em São Paulo. São 31 veículos direcionados a atender os centros de distribuição de Jurubatuba, Osasco e Ipiranga. Além do baixo impacto ambiental, com emissão zero de poluentes, outros benefícios são esperados

 A Coca-Cola Femsa Brasil está operando com sua frota de caminhões elétricos para a distribuição de bebidas na região metropolitana de São Paulo. São 31 veículos direcionados a atender os centros de distribuição de Jurubatuba, Osasco e Ipiranga. Além do baixo impacto ambiental, com emissão zero de poluentes, outros benefícios esperados são a redução de ruídos na cidade, a diminuição de geração de outros resíduos – não é necessário trocar água e óleo, por exemplo-, a economia por quilômetro rodado e o baixo custo de manutenção. A operação com os novos modelos é também um importante avanço na agenda ESG da companhia.

 “Sempre buscamos soluções inovadoras para corresponder às expectativas da sociedade em relação às questões ambientais. Temos a inovação em nosso DNA e essa característica nos motivou a ter uma frota elétrica operando na Grande São Paulo, resultado do investimento contínuo em operações sustentáveis e em soluções que contribuem para a redução da emissão de poluentes em toda a cadeia”, afirma, Ian Craig, CEO da companhia no Brasil.

Em comparação aos caminhões à diesel, os elétricos podem reduzir as emissões de carbono e beneficiar o meio ambiente. Com autonomia média de 100 quilômetros, os veículos são recarregados durante à noite nos centros de distribuições, onde foram realizadas obras civis e modificações de instalações. Na prática, a aquisição fará com que a empresa deixe de emitir aproximadamente 465 toneladas de dióxido de carbono ao ano.

“A sustentabilidade está no centro das ações da Coca-Cola Femsa Brasil. O investimento em caminhões elétricos faz parte de uma ampla estratégia que, entre outras soluções, busca mitigar os impactos no meio ambiente, gerando uma redução significativa na emissão de poluentes.”, destaca Camila Amaral, VP jurídica e de assuntos corporativos.

 A tecnologia de última geração é uma das vantagens agregadas. Todos os veículos estão conectados com dados de desempenho em nuvem e com o pacote RIO e-Fleet para a gestão de frota, o que possibilita o acompanhamento em tempo real do desempenho do veículo e motorista, garantindo a segurança no transporte. Um dos grandes trunfos é o sistema de regeneração do motor, que conta com cerca de 100 sensores e novos controles eletrônicos que usam os atritos do freio e a redução de velocidade como fonte de energia para dar carga extra às baterias, capaz de recuperar 40% durante a frenagem para tornar o veículo mais eficiente.

 Com calibração minuciosa para operações severas, o motor também entrega 300 KW e torque de 2.150 Nm (nanômetros) desde as primeiras rotações. A suspensão pneumática permite suspender um dos eixos para gerar ainda mais economia na operação. O peso bruto total de cada unidade é de 14.300 Kg e a capacidade máxima de carga útil, somada à carroceria, chega a 9.055 Kg, a maior de sua categoria em elétricos no Brasil.

“Nosso objetivo é gerar valor ambiental para os stakeholders e as comunidades que atendemos, considerando ações para mitigar os impactos em toda a cadeia de valor, desde fornecedores a clientes e consumidores”, completa o CEO da Coca-Cola Femsa Brasil, que atende mais de 90 milhões de consumidores em 52% do território brasileiro operando em oito estados (São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Goiás).

Estratégias e ações ESG

A Coca-Cola Femsa Brasil está comprometida com a redução da emissão dos gases de efeito estufa, alinhada às diretrizes do SBTi (Science Based Targets), iniciativa do Pacto Global das Nações Unidas e outras instituições que se baseiam na ciência para a redução de emissões de poluentes causadores do efeito estufa. Para isso, foi criado o “Comitê de Mudanças Climáticas”, orientado para estudar, acompanhar e implementar estratégias para reduzir as emissões de suas operações. Com isso, a empresa tem ampliado a utilização de empilhadeiras elétricas com baixo consumo de energia e alta capacidade de carga.

Outra frente diz respeito à gestão de água: todas as fábricas contam com sistema de monitoramento, aproveitamento e reutilização do insumo. Do ponto de vista da gestão de resíduos, a sustentaPET, iniciativa pioneira de coleta de resíduos pós-consumo, criada pela empresa, em parceria com a Coca-Cola Brasil, estimula a economia circular ao gerar renda para catadores, recicladores e cooperativas, dinamizando a cadeia de reciclagem do PET. Desde o início das operações, que contam com mais de 160 parceiros, 2,8 bilhões de garrafas de PET foram recicladas.

Bruno Castilho

bruno@cargasetransportes.com.br