20 de abril de 2024

CARGAS

O site dos transportes

Ponto estratégico

Escolha de uma boa localização é o sucesso das transportadoras, defende executivo. Empresas que estão mais bem situadas agregam mais visibilidade aos seus serviços e clientes

A logística atual para as empresas do transporte rodoviário de cargas reflete em tomada de decisões estratégicas, em grandes ou em pequenas transportadoras, afinal tais decisões afetam diretamente a produção, a comercialização e a eficiência do serviço. Segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), o governo federal prevê até o final de 2022 a contratação de R$ 260 bilhões em obras e em projetos de infraestrutura na área de transportes por meio de concessões à iniciativa privada, ampliando a visão de interesse na abertura de mais filiais do seguimento no Brasil.

Conforme informe e análise da Confederação Nacional de Transporte (CNT) realizados em 2021, houve um crescimento no volume de serviços do setor do transporte rodoviário de cargas (TRC) de 3,8%, principalmente para o modal rodoviário, aumento que pode ser superado em 2022. De acordo com dados preliminares de estudo do Instituto de Logística e Supply Chain (Ilos), foram movimentadas 1,94 trilhão de TKUs (unidade que combina toneladas com quilômetros percorridos) só em 2021.

Com os investimentos em tecnologia e em projetos previstos de melhoria em infraestruturas rodoviárias para o setor do TRC, cogitar a abertura estratégica de filiais ou de novas transportadoras torna-se plausível com o cenário atual.

Com isso, pensar na localidade para o seu negócio significa otimizar os processos de locomoção para que eles estejam estreitamente ligados aos principais pontos que beneficiam o transporte rodoviário de cargas. Um exemplo é a proximidade com as principais rodovias que vão até seu cliente final, otimizando o tempo, reduzindo os custos e, consequentemente, aumentando os lucros.

José Alberto Panzan, presidente do Sindicato das Empresas de Transportes e Cargas de Campinas e Região (Sindicamp) e diretor da Anacirema Transportes, explica: “Sobretudo, no transporte rodoviário de cargas, em que as distâncias, os espaços e a infraestrutura constituem algumas de suas principais variáveis, pensar na localização da sua transportadora é uma etapa fundamental para se manter competitivo no mercado e continuar gerando resultados por décadas ou gerações. Um dos motivos da Anacirema Transportes e Logística estar no mercado de transporte há mais de 30 anos tem total relação com esta questão, pois sabíamos dessa relevância para o fluxo de mercadorias em território nacional”.

“Com o cenário atual vinculados ao aumento nos custos do transporte, tanto por questões já conhecidas pelo setor (segurança, manutenção, compra de peças e de equipamentos, folha de pagamento etc.) quanto pela conjuntura externa (conflitos internacionais, preço dos combustíveis e pandemia), a localização não é só uma forma de evoluir a sua transportadora, mas de conseguir se manter estável em meio a uma economia que sofre instabilidades”, complementa José Alberto.

Ademais, a atenção e o cuidado aos detalhes desses fatores que influenciam o âmbito institucional são determinantes em qualquer empreendimento, independentemente do serviço executado.

Com isso em vista, o executivo conclui: “No TRC, mais do que em qualquer outro setor, o posicionamento é um determinante para o futuro da transportadora e do cumprimento da sua função com a sociedade e com a economia local”.

Bruno Castilho

bruno@cargasetransportes.com.br