20 de abril de 2024

CARGAS

O site dos transportes

Fabrício Santos

Terceirização do processo logístico

Será que vale a pena? Com o anúncio do encerramento do serviço de entregas de refeições realizado pela Uber Eats, muitos restaurantes perderam seu espaço de vendas on-line e a disponibilidade da função delivery

Com o anúncio do encerramento do serviço de entregas de refeições realizado pela Uber Eats, muitos restaurantes perderam seu espaço de vendas on-line e a disponibilidade da função delivery. Tal acontecimento levanta questionamentos sobre as reais vantagens da terceirização de processos logísticos. Afinal, hoje em dia ainda é vantajoso terceirizar? Até que ponto é possível obter benefícios sem perder o controle de toda a atividade?

 Para responder essas questões, é necessário compreender dois pontos que são importantes quando se pensa em terceirizar: o TAC (Transportador Autônomo de Carga) e o SLA (em português, Acordo de Nível de Serviço).

 O processo de contratação de um Transportador Autônomo tem algumas dificuldades no momento de estabelecer regras e chegar em um acordo. Isso porque não existe um contrato entre as partes. Logo, demandas sobre os padrões e as condutas a serem seguidas devem ser conversadas entre o contratante e o prestador para evitar quaisquer problemas no futuro.

 Por exemplo, questões como vestimentas inadequadas, que podem gerar problemas na transmissão da imagem da empresa, ou o uso de aplicativos para o acompanhamento do processo de entregas não são obrigatórios, mesmo que isso faça parte do processo logístico da empresa que está terceirizando o serviço. Entretanto, existe a possibilidade de um acordo que chegue em um ponto que seja viável tanto para a empresa contratante quanto à contratada.

Por isso, pontos assim reforçam a importância de estabelecer um SLA, pois esse acordo garante a transparência e a produtividade das partes envolvidas e, dessa forma, a terceirização terá mais benefícios em compensação aos custos. Por conta disso, algumas empresas optam por transportadoras, tendo em vista que essas empresas possibilitam mais facilidade de negociação do SLA sem perder a qualidade da entrega.

Apesar dos pontos de atenção na avaliação antes de contratar um serviço terceirizado, ainda há qualidades que podem ser exploradas positivamente na hora de externalizar um serviço, como a área de armazenagem e a separação e expedição de mercadorias. Para alguns lojistas, a empresa contratada pode agregar uma gestão melhor para essas atividades justamente porque são especialistas no assunto.

Ainda por esse ângulo, a terceirização das entregas pode ter mais benefícios ao se considerar os custos e as responsabilidades de uma frota, que envolvem problemas com combustível, veículos, acidentes e reparos, além de mão de obra. Esses deixam de ser atribuição da empresa e passam a ser do prestador, o que deve ser estipulado em contrato.

De modo prático, a terceirização é vantajosa caso não comprometa o processo principal das organizações. Claro que riscos sempre existem. Por isso, ao optar por externalizar uma atividade, é importante que sejam estabelecidos SLA’s para que a programação do serviço ocorra na medida certa, assegurando que não aconteça um comprometimento do domínio de todas as funções pelo prestador e que o contrato possa agregar mais benefícios à gestão.

 Artigo de Fabrício Santos, especialista em logística da MáximaTech e da onBlox, empresas do Grupo Máxima, especializada em soluções para força de vendas, e-commerce, trade marketing e logística para a cadeia de abastecimento