20 de abril de 2024

CARGAS

O site dos transportes

Para a África

Volvo expande exportações de ônibus para a África. As primeiras unidades de um novo lote de 91 veículos já foram embarcadas para países como Camarões, Costa do Marfim, Burkina Faso e Gana

A Volvo está expandindo suas exportações de ônibus para a África. As primeiras unidades de um novo lote de 91 veículos já foram embarcadas para países como Camarões, Costa do Marfim, Burkina Faso e Gana.

Em 2021, as vendas externas de ônibus Volvo já chegam a 71,5% das entregas da marca. Metade das exportações foi para outros países da América Latina e metade para o continente africano.

“Nossa fábrica brasileira tem vocação exportadora. Os mercados internacionais sempre foram grandes compradores de ônibus produzidos no Brasil”, declara Fabiano Todeschini, presidente da Volvo Buses América Latina.

No complexo industrial da marca localizado em Curitiba (Paraná), a Volvo faz chassis de ônibus urbanos e rodoviários pesados e semipesados, convencionais, articulados e biarticulados. A fábrica local tem um dos maiores índices de qualidade do Grupo Volvo em todo o mundo e é reconhecida por ser um importante elo do sistema industrial global da marca.

Neste novo negócio, a montadora está enviando 12 ônibus para Camarões, 10 para Burkina Faso, 59 para a Costa do Marfim e 10 para Gana. Ao todo, são 91 ônibus, incluindo modelos urbanos e rodoviários. Todos foram encarroçados pela Marcopolo, em Caxias do Sul (Rio Grande do Sul).

“Os veículos Volvo têm tido grande aceitação em diferentes mercados africanos. As vendas têm se repetido por conta da qualidade tanto dos produtos quanto dos nossos serviços, bem como dos bons resultados para os operadores de transporte”, explica José Moreira, diretor da Volvo Buses para os mercados do Norte e Centro da África.

Antes desse novo embarque, este ano a África já havia recebido 270 ônibus Volvo fabricados no Brasil. Os veículos, dos modelos Paradiso 1200, Viaggio 1050 e Torino, foram embarcados neste mês de outubro e a entrega deverá ocorrer em novembro.

“Apesar do cenário de pandemia, as vendas da Marcopolo no continente africano se mantiveram e representam parte importante do resultado da companhia. Além de empresas tradicionais, a empresa também conquistou novos clientes neste período”, destaca Gustavo Marramarco, consultor de operações comerciais da Marcopolo responsável pelo atendimento à região norte do continente africano.

“A imagem da Marcopolo no continente africano é muito forte e positiva. A empresa é reconhecida pela robustez, qualidade e baixa manutenção de seus produtos e também pelo elevado padrão de serviço de pós-vendas e assistência técnica”, completa Gustavo.

No primeiro semestre deste ano, a Marcopolo exportou 967 unidades a partir das fábricas brasileiras, sendo os principais destinos os países africanos e da América do Sul, com destaque para o mercado chileno.

Bruno Castilho

bruno@cargasetransportes.com.br