19 de julho de 2024

CARGAS

O site dos transportes

Pricing no transporte

3 min read

Imagem ilustrativa

Inovações tecnológicas impulsionam estratégias de pricing no setor de transporte. Especialista ressalta benefícios da solução para aumentar a produtividade e diminuir custos na logística

De acordo com levantamento do Instituto de Logística de Supply Chain (ILOS), o custo logístico no Brasil representa alho em torno de 13,7% do PIB (Produto Interno Bruno), contra 8% nos Estados Unidos e 7% na Alemanha. Com um impacto significativo, o setor busca soluções para amenizar custos nas operações, ao mesmo tempo em que ganha produtividade em cada demanda.

Uma das formas encontrada para atingir este objetivo é o processo de pricing, que visa buscar um equilíbrio ao colocar preços, sobretudo automaticamente, aos pedidos ou serviços em diversos segmentos no mercado. Hoje, é um diferencial para ser expandido do mesmo modo no setor de transporte.

Para Lígia Novazzi, COO e Sócia da Teros, empresa especializada em automação inteligente de pricing, a área logística é carente de soluções customizadas, o que pode ser revertido com a automatização dos processos de pricing: “É preciso ter em mente que o mercado como um todo segue uma tendência automatizada, decorrente do crescimento da tecnologia. Com isso, principalmente no setor de transporte, podemos encontrar melhora na eficiência operacional, flexibilidade, maior satisfação do cliente, inovação contínua, aumento de produtividade e redução de custos. E o pricing pode contribuir com tudo isso”.

Conforme a executiva, uma aplicação efetiva da solução para a área de transporte pode abordar o tipo de carga a ser transportada, o tamanho, a taxa de ocupação do veículo, o local de partida e destino e qual o valor percebido desse transporte pelo cliente. Variáveis que, muitas vezes, complicam o cálculo do custo específico do frete. Dessa forma, com a automação, as empresas podem atingir um crescimento considerável nos lucros, uma vez que o aumento de apenas 1% no preço médio, quando aplicado sem ocasionar redução de volume, gera, em média, 11% a mais de lucro.

Além disso, é possível construir algoritmos inteligentes incorporando dados de diversos canais e fazer projeções de ocupação e percepção de valor do cliente em relação ao frete transportado. Dessa forma, ao preencher as informações do cliente, da rota e da carga, o software retorna as informações essenciais para a venda, como o preço recomendado e a margem otimizada para o serviço específico.

“Dada à complexidade de vetores na definição de preços, as transportadoras não conseguem só trabalhar com tabelas, uma vez que a parte operacional perde muito tempo dentro disso. Para fretes ou cargas maiores, é necessário ter um time específico para fazer todas essas análises sempre que um novo contrato ou um novo frete chegar, o que gera um custo muito alto de gestão de pessoas, lógica de acompanhamento desses valores e risco de poder errar esse cálculo”, complementa Lívia.

 A COO conta que com a automação dos processos de pricing, além de aumentar a taxa de ocupação das rotas, as empresas podem acelerar a prospecção de clientes. Como exemplo, ela relembra um case onde um cliente do setor aumentou a receita em R$ 1 milhão com clientes novos já nos primeiros seis meses de pricing automatizado.

“O pricing é uma solução madura que vai trazer eficiência para o setor logístico. As empresas já estão atentas aos avanços das inovações, que só tem a beneficiar o segmento de transporte. Com ele, é possível aumentar o volume transportado em cerca de 12,1 pontos percentuais já no primeiro trimestre após implementação”, finaliza Novazzi.

Bruno Castilho

bruno@cargasetransportes.com.br

Deixe um comentário

© Todos os Direitos Reservados - (28) 99939 - 2077 | bruno@cargasetransportes.com.br