20 de abril de 2024

CARGAS

O site dos transportes

FM Eletric no Brasil

Volvo começa a testar caminhões pesados 100% elétricos no país. Veículo está sendo apresentado para transportadores em diferentes regiões para coletar as primeiras impressões em aplicações tipicamente brasileiras

A Volvo começou a testar caminhões pesados 100% elétricos no Brasil. O modelo FM Electric está sendo apresentado para transportadores em diferentes regiões para coletar as primeiras impressões em aplicações tipicamente brasileiras.

“Conforme anunciado na última Fenatran, estamos colocando veículos em empresas de transporte com operações regulares no Brasil, para que os frotistas sintam os benefícios e os avanços de nossa tecnologia. Os relatos têm sido muito positivos. Além da ausência total de emissões, os transportadores constatam também grande eficiência energética, inexistência de ruído, baixíssima vibração e alto conforto para o motorista. Eles destacam ainda o excepcional nível de segurança embarcada, em linha com a visão ‘Zero Acidentes’ da Volvo”, declara Wilson Lirmann, presidente do Grupo Volvo América Latina.

As viagens estão sendo feitas por transportadores de vários setores e em diversas regiões do país. O objetivo é entender as expectativas e demandas dos potenciais clientes, além de coletar dados técnicos nas diferentes aplicações. “Iniciaremos nossa jornada da transformação do transporte pesado no Brasil em aplicações específicas, para gradualmente expandir a tecnologia a outros segmentos”, explica Alan Holzmann, diretor de estratégia e planejamento de produto caminhões da Volvo.

As rotas misturam trechos urbanos e de rodovias, obedecendo as condições reais das demandas de cada transportador. Na maioria das vezes, os veículos fazem embarque nas unidades produtoras e levam a carga para centros de distribuição ou mesmo até o destino final. “Colocamos os caminhões à prova nas aplicações típicas em que vão rodar. E eles estão se saindo muito bem”, afirma Marco Mildenberg, gerente de eletromobilidade da Volvo.

O Volvo FM Electric cavalo mecânico tem potência de 490 kW (660hp), com opções de PBTC (Peso Bruto Total Combinado) de até 44 toneladas. Ele pode ser equipado com três motores elétricos e até seis baterias (540 kWh). Com autonomia de até 300 km, é ideal para operações no entorno de centros urbanos. O carregamento pode ser feito em estações no pátio da própria transportadora e pode levar de 1h30 até 8h, dependendo da quantidade de baterias e tipo de carregador.

Com suspensão a ar em todos os eixos, o veículo é dotado de freios de regeneração, isto é: recupera a energia quando é freado. O modelo tem baixíssimo nível de ruído, tornando-o uma ótima alternativa para aplicações próximas a áreas residenciais. Sem emissões de gases, pode ser utilizado em ambientes fechados como galpões e armazéns, por exemplo. “O Volvo FM Electric é um produto global, com nossa mais alta tecnologia mundial disponível em caminhões 100% elétricos”, assegura Holzmann.

A Volvo é reconhecida no transporte pesado sustentável, com a meta de reduzir em 50% as emissões de CO2 de seus veículos até 2030 e em 100% até 2040. A marca é líder em elétricos pesados na Europa e Estados Unidos e tem quase 5 mil caminhões entregues com essa tecnologia em todo o mundo.

“O início dos testes do Volvo FM Electric no Brasil é mais um passo da nossa jornada global rumo à descarbonização do setor. Nossa meta são transportes 100% mais seguros, mais produtivos e livres de CO2”, finaliza Wilson Lirmann.

Mercado elétrico

A Volvo se junta a outras montadoras que apostam neste segmento no Brasil. A Volkswagen Caminhões e Ônibus lançou o e-Delivery, o primeiro caminhão 100% elétrico nacional. Desenvolvido e produzido pela montadora, o modelo foi lançado em julho de 2021 Segundo a marca, há versões com PBT de 11 t e 13 t e tração 4×2 e 6×2. Além disso, a carga útil é de 6.320 kg e 9.055 kg, respectivamente.

Todas possuem motores elétricos de 300 kW, ou cerca de 408 cv de potência, e 219,2 kgfm de torque. Existem três pacotes com três e seis baterias. Como resultado, a autonomia pode variar de 150 km a 300 km.

A JAC e a BYD também tem apostado neste mercado no Brasil, disponibilizando dois modelos cada, para os consumidores.

Além das montadoras, há empresas de outros setores investindo na eletrificação. A Randon, por exemplo, apresentou no fim do ano passado o semirreboque da linha Hybrid R. O implemento rodoviário tem eixo elétrico e-Sys e foi desenvolvido pela Suspensys e pela CTR, as divisões de tecnologia da empresa gaúcha.

Bruno Castilho

bruno@cargasetransportes.com.br