20 de abril de 2024

CARGAS

O site dos transportes

Investindo no caminhoneiro

Investimentos na especialização de motoristas de caminhões trazem melhoria ao setor. Estudos mostram que número de pessoas habilitadas para conduzir este tipo de veículo diminuiu 18% entre 2010 e 2021

Segundo o relatório da Polícia Rodoviária Federal, a maioria os acidentes em rodovias federais são causados por erro humano, seja por ausência de reação do condutor ou por velocidade incompatível, o que pode ser evitado com atenção redobrada no volante. Além disso, dados do Ministério Público do Trabalho constataram que 90% dos acidentes, os sinistros, envolvendo caminhões com resultados fatais também acontecem por falha humana.

Valorizar o motorista e prepará-lo para situações adversas é essencial para a evolução do transporte de cargas e para a inserção adequada de novos profissionais no mercado. Estudos do Instituto Paulista do Transporte de Cargas (IPTC) mostram que o número de motoristas habilitados com a carteira tipo C caiu cerca de 18% entre 2010 e 2021.

 Para estimular os principais responsáveis pelo transporte de cargas, o Instituto Setcepar de Educação no Trânsito (ISET), desenvolvido pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas no Estado do Paraná (SETCEPAR), oferece diversos cursos e palestras voltadas à especialização do condutor. A disponibilidade dessas formações reflete não somente na qualidade da locomoção, como também na facilidade de introdução de novos interessados na área.

 Para Cláudio Gonçalves, instrutor técnico do ISET, essa oferta “é muito importante para que os motoristas desempenhem uma função qualificada. O investimento na especialização do motorista gera produtividade e eficiência no trabalho, além de diminuir os erros comuns. Com isso, as empresas aumentam suas margens de lucro e reduzem os custos com a utilização correta desses profissionais em relação à direção econômica e segura”.

O ISET oferece cursos para suprir demandas cotidianas do transporte de cargas, como os cursos de direção econômica, de gestão de custos operacionais no transporte e de caminhoneiro proativo, cujo objetivo é reforçar a consciência do motorista, entre outros. O conteúdo dos cursos é desenvolvido por montadoras de caminhões, por grandes transportadoras e por acadêmicos que atuaram na área para assegurar a utilidade dos aprendizados e a praticidade das teorias ensinadas.

 Manoel Medeiros realizou a formação de motorista carreteiro no ISET e trabalha na área há mais de um ano. Segundo ele, o curso auxiliou, principalmente, no controle de combustível e no uso adequado do freio motor, mas tratou de outros temas importantes relacionados à mecânica e aos cuidados em geral.

 A participação nessas formações expande a perspectiva de crescimento na carreira, e com o instituto é possível ter acesso a palestras e consultoria para empresas relacionadas, de modo presencial. Hoje, mais de 70 profissionais da categoria já foram capacitados.

 Para Manoel, é fundamental que o motorista busque novos conhecimentos e se atualize conforme o avanço da tecnologia. Os caminhões possuem tecnologias que os profissionais precisam saber utilizar para fazer uso do veículo. “Hoje, não podemos dirigir um veículo automático da mesma forma que usavam um manual ontem. O mercado não necessita apenas de motoristas habilitados, mas de condutores profissionais e qualificados”, destaca o carreteiro.

“A quantidade de condutores está aumentando, e é muito importante ter esse aumento com pessoas capacitadas. Neste ponto o setor é sensível, pois a exigência de carteiras C e E, em alguns casos, além de cursos específicos, afunila o processo e assusta os interessados. Apesar disso, a demanda por esses profissionais só tende a crescer”, complementa e finaliza o instrutor Cláudio Gonçalves.

Bruno Castilho

bruno@cargasetransportes.com.br