20 de abril de 2024

CARGAS

O site dos transportes

JBS aposta nos elétricos

Seara, empresa pertencente ao grupo, amplia de 19 para 200 caminhões 100% elétricos refrigerados a sua frota de operações logísticas. Pioneira na adoção de caminhões elétricos refrigerados, marca utilizará os veículos para realizar a distribuição dos seus produtos em todo o Brasil

As operações logísticas da Seara, reconhecida pela inovação e liderança em diversas categorias do mercado de alimentos, estão ampliando de 19 para 200 caminhões 100% elétricos refrigerados até janeiro de 2023. A companhia irá utilizar os veículos fornecidos pela No Carbon, nova empresa da JBS Novos Negócios, especializada em locação de caminhões movidos a eletricidade, para realizar viagens locais de distribuição dos seus produtos aos seus clientes em todo o Brasil.

Cada veículo elétrico da frota evita o lançamento anual de cerca de 30 toneladas de gás carbônico (CO2) equivalente na atmosfera. Os caminhões da NoCarbon possuem 170 quilômetros de autonomia, capacidade de transportar até 4 toneladas de carga e são equipados com baús frigoríficos, armazenando, simultaneamente, produtos resfriados e congelados. A iniciativa irá contribuir para reduzir as emissões escopo três de gases de efeito estufa, relativas às emissões indiretas das operações da companhia.

 “Nosso objetivo é ampliar cada vez mais o alcance de soluções logísticas sustentáveis e de baixo carbono. Por isso, temos como meta ter veículos elétricos em todas as regiões metropolitanas com Centro de Distribuição da Seara”, destaca Fabio Artifon, diretor de Logística da Seara. A marca é pioneira na adoção de caminhões elétricos refrigerados, cujos veículos já realizam a distribuição de produtos em Santa Catarina, São Paulo, Paraná e Distrito Federal.

Com a introdução dos 200 novos veículos na frota de transporte, a Seara estima reduzir em cerca de seis mil toneladas as suas emissões indiretas de CO2, o equivalente ao plantio de 45 mil árvores. Isso porque os caminhões elétricos vão substituir os veículos movidos a diesel, mais poluentes.

“Com a entrada dos novos caminhões elétricos, viabilizamos a renovação da frota e apoiamos o nosso transportador parceiro sem que ele precise fazer o investimento de transição para uma frota de baixo carbono”, reforça Artifon.

Além do menor impacto ambiental, uma das principais vantagens dos veículos elétricos é o baixo custo de operação e manutenção. O caminhão não possui, por exemplo, filtro de ar, filtro de óleo, filtro de combustível, sistema de escapamento, correias, bico injetor, bomba de injeção e demais itens que fazem a manutenção de um veículo convencional custar até seis vezes mais do que o modelo elétrico.

O avanço da eletrificação da frota de transporte faz parte dos esforços da JBS para se tornar Net Zero em 2040, ou seja, reduzir as emissões de escopo 1 (diretas), 2 (indiretas em energia elétrica) e 3 (indiretas) e compensar toda a emissão residual.

Bruno Castilho

bruno@cargasetransportes.com.br