27 de maio de 2024

CARGAS

O site dos transportes

Logística 4.0: 5 dicas para a indústria

Um dos grandes impasses da logística é gerir os custos da operação. Para as indústrias, a base de transportadoras homologadas e a redução dos valores dos fretes estão entre as maiores dores do setor. Veja cinco dicas de como tornar essas pontas mais eficientes

A redução de custos é sempre uma prioridade das indústrias, tanto para melhorar o fluxo financeiro como para manter a competitividade da organização. Por isso, ter várias transportadoras homologadas na base de atendimento não é garantia de sucesso, mas, por outro lado, uma boa gestão otimiza recursos e torna a área de logística mais eficiente.

Outra ponta sensível é a gestão de fretes, onde é fundamental haver uma centralização das informações dessa base, seja comunicação, valores, negociações e cargas que estão atualmente em trânsito ou as que já foram entregues. Caso contrário, muitos dados e indicadores podem ser perdidos ou não tratados, tornando os custos logísticos cada vez maiores.

A logística 4.0, voltada a soluções de tecnologia, possibilita essa inovação sem a necessidade de grandes investimentos financeiros. Mas antes, é importante entender onde estão as dores da logística na indústria. Elas estão alicerçadas, basicamente, em cinco pilares: Falta de controle de gastos e metas, não ter um planejamento estratégico do setor, não ter uma gestão de riscos no transporte, sistemas legados ou planilhas manuais de acompanhamento e baixa qualificação da equipe.

Para solucionar esses gargalos é preciso organizar e planejar o que já se tem dentro da indústria para o melhor aproveitamento de pessoas e recursos. Confira cinco dicas para ter sucesso nesse processo, segundo Denny Mews, CEO da CargOn, logtech que atua como operador logístico digital:

1. Planejamento da operação logística (financeira, fiscal e gerenciamento de risco)

Um planejamento com metas claras e objetivas para a operação, que torne a saúde financeira da indústria mais saudável, é ideal para o direcionamento de todos os setores e para que os colaboradores de todas as equipes estejam alinhados. É necessário também ter um cuidado com as regras fiscais, pois podem gerar um passivo enorme para a empresa.

“Lembrando que o governo não tem mais foco em multas nas estradas e, sim, na troca eletrônica com os dados que são feitos por ele”, destaca Mews. E por fim, o gerenciamento de risco é algo importante para não haver perdas de produtos e, principalmente, clientes insatisfeitos por não receberem seus produtos.

2. Invista em softwares e treinamento para a equipe

Tendo processos e ferramentas que fazem sentido para a operação logística da indústria, também se fazem necessários profissionais qualificados, que operem corretamente os sistemas implantados, além de uma boa gestão de informações e dados.

“Colaboradores que demonstram interesse em melhorias contínuas precisam de treinamentos para operações específicas ou processos individuais da logística da indústria, por isso, treiná-los se faz extremamente necessário”, explica o executivo.

3. Monitoramento de atividades e cargas em tempo real

Se a centralização de informações é importante, ter os dados em tempo real sobre o transporte de cargas, hora da emissão da documentação, carregamento, previsão de chegada e indicadores para otimização antes mesmo de incidentes acontecerem é o cenário ideal para uma gestão de fretes e transportadoras eficientes.

4. Automatize processos manuais

Aquela planilha de acompanhamento manual de horário de chegada e saída de motoristas ou aquele fluxo financeiro e de documentos de motoristas e fiscais podem deixar a operação muito mais lenta, tornando o custo para a logística muito maior. “Com a otimização de ferramentas, softwares e colaboradores, a indústria consegue fazer mais em menos tempo e, ainda, com uma qualidade muito superior”, afirma Denny.

5. Escute o feedback dos seus clientes

Os clientes, fornecedores parceiros ou centros de distribuição precisam ter um canal de comunicação para otimização contínua das operações logísticas, por isso, escutar uma crítica construtiva pode melhorar cada vez mais o transporte de cargas.

“Podemos não ter a visão do processo em seus pequenos detalhes, que faz toda a diferença no dia a dia. Por isso, escutar o feedback dos clientes, sejam destinatários ou colaboradores, traz melhorias significativas para a operação logística”, finaliza Mews.

Bruno Castilho

bruno@cargasetransportes.com.br