8 de dezembro de 2023

CARGAS

O site dos transportes

Maior eficiência

Renault Trucks assume o desafio de reduzir o consumo de combustível e as emissões de CO 2 . O fabricante está equipando suas séries T, T High, C e K com novos motores DE11 e DE13. Aliados à integração de tecnologias avançadas como o turbo compound e serviços dedicados, oferecem uma redução do consumo de até 10%

Em 2021, a Renault Trucks fez grandes alterações nas suas gamas T, T High, C e K em termos de design, conforto de condução e conforto a bordo. O fabricante continua este desenvolvimento com a chegada dos novos motores Euro VI Step E, DE11, DE13 11 e 13 litros que, combinados com a integração de novas tecnologias e serviços dedicados, permitem uma economia de combustível de até 10% em relação aos anteriores geração de motores Renault Trucks. A nova geração de motores incorpora novas tecnologias que reduzem significativamente o consumo de combustível e as emissões de CO 2.

Para uma combustão aprimorada, os motores DE11 e DE13 recebem a tecnologia patenteada Wave Piston. Ao redirecionar as chamas para dentro da tigela de combustão, esta solução aproveita melhor o oxigênio disponível e, portanto, uma combustão melhor. Novos injetores com maior precisão e adaptados à nova combustão também equipam os motores.

Para maior eficiência, a montadora francesa também trabalhou para reduzir as perdas por atrito: bielas, pistões e virabrequim foram redesenhados e o gerenciamento de gás do cárter foi otimizado. Um novo turbocompressor de rolamento de esferas de alto desempenho com tempo de resposta aprimorado e uma bomba de óleo de fluxo variável combinada com óleo de baixa viscosidade também foram desenvolvidos.

Finalmente, a Renault Trucks optou por um sistema de pós-tratamento otimizado e uma nova ECU do motor. Para um desempenho ideal, os Renault Trucks T, T High e C podem ser opcionalmente equipados com o motor DE13 TC, equipado com a tecnologia turbo compound, que permite uma economia significativa de combustível sem comprometer a manobrabilidade ou a velocidade comercial.

Uma turbina adicional, posicionada a jusante do turbocompressor, converte a energia residual contida nos gases de escapamento em energia mecânica e a transmite de volta ao virabrequim na forma de torque adicional do motor.

O turbo compound, portanto, torna possível atingir níveis de torque mais elevados em rotações mais baixas. Na rodovia, em piloto automático e em aclive, pode-se manter a velocidade constante, sem a necessidade de redução de marcha.

Os veículos são equipados ainda com a nova geração de caixa de câmbio Optidriver que incorpora um novo computador, novo software de controle ou um novo atuador de embreagem, para mudanças de marcha mais suaves e rápidas.

Para uma maior economia no consumo de combustível, a Renault Trucks optou também pela solução Smart Torque Control, que maximiza o tempo de permanência na área com a melhor eficiência do motor, sem penalizar a manobrabilidade.

A empresa também continua a melhorar o sistema de controle de cruzeiro preditivo Optivision, que usa a topografia da estrada para otimizar a mudança de marcha e promover a economia de combustível.

O fabricante também oferece soluções para apoiar as transportadoras em sua abordagem para monitorar e melhorar o consumo de combustível e as emissões de CO 2 de sua frota.

O software de gestão de frota Optifleet (módulo Check) permite assim monitorizar o consumo de combustível de cada caminhão e analisar o estilo de condução dos condutores para determinar os elementos sobre os quais é possível atuar para reduzir o consumo. Além disso, a Renault Trucks desenvolveu um amplo programa de formação nos princípios da condução racional, para um consumo de combustível totalmente controlado. As melhorias nos caminhões são para veículos que rodarão ou rodam na Europa.

Bruno Castilho

bruno@cargasetransportes.com.br